PUBLICIDADE
Notícias

Menino de 2 anos mata mãe com tiro acidental

O menino estava sentado no carrinho de supermercado, de onde ''agarrou a pistola que a vítima carregava no bolso, conseguindo ativá-la'', disse o tenente

11:13 | 31/12/2014

Um menino de dois anos matou na última terça-feira, 30, sua mãe ao disparar acidentalmente a pistola que ela carregava no bolso, em um acidente ocorrido em um supermercado de Idaho, noroeste dos Estados Unidos, informaram autoridades.

A vítima era Veronica J. Rutledge, que foi atingida pelo disparo de seu filho quando fazia compras junto a outros familiares em um supermercado da rede Walmart na localidade de Hayden, em Idaho.

"Seu filho de dois anos atirou acidentalmente contra a vítima de 29 anos", confirmou à AFP o tenente do condado de Kootenai, Stuart Miller.

O menino estava sentado no carrinho de supermercado, de onde "agarrou a pistola que a vítima carregava no bolso, conseguindo ativá-la", explicou Miller em um comunicado.

[SAIBAMAIS2] 

O tenente confirmou à AFP que a mulher, originária de Blackfoot, outra cidade de Idaho, tinha permissão para portar armas ocultas.

Idaho é uma das regiões dos Estados Unidos onde mais pessoas dizem possuir armas de fogo.
Fontes oficiais citadas pela rede de televisão local KREM 2 afirmaram que Rutledge estava no supermercado com outras três crianças, mas a polícia não confirmou este dado.

A tragédia ocorreu no setor de eletrônicos, situado na parte traseira da loja, segundo a rede de televisão local KXLY.

As autoridades colocaram uma equipe de especialistas a disposição dos funcionários da loja que precisarem receber assistência psicológica ou quiserem falar sobre o ocorrido, segundo a televisão.

A direção do Walmart declarou em um comunicado que "cooperará com os agentes do xerife do condado de Kootenai enquanto a investigação durar".

Os acidentes fatais e mortes com armas de fogo registradas a título pessoal nos Estados Unidos são cada vez mais frequentes, enquanto aumentam as vozes que pedem um maior controle e exigência para vendê-las aos cidadãos.

O incidente de terça-feira talvez seja o que envolva a criança mais nova a se tornar protagonista involuntária de acidentes fatais com armas de fogo nos Estados Unidos, que parecem ser cada vez mais frequentes.

Em agosto, uma menina de nove anos matou um instrutor de tiro que a ensinava a utilizar uma metralhadora ao acionar acidentalmente o gatilho e perder o controle da arma.

Em maio de 2013, um menino de 5 anos matou a irmã de 2 anos em Kentucky com um Crickett, um modelo para crianças de um rifle de cano longo, que recebeu de presente em seu aniversário.

Pouco antes, no Tennessee um menino de 4 anos matou a esposa de um policial que recebia amigos e mostrava suas armas. Outro menor de 4 anos matou o amigo de 6 com uma carabina encontrada em uma casa de Nova Jersey.

E em 2008 um menor de 8 anos morreu enquanto empunhava uma Uzi em uma feira de armas, exposições que atraem milhares de americanos todos os anos.

TAGS