PUBLICIDADE
Notícias

Assessora republicana critica comportamento e roupas de filhas de Obama

Ela ainda afirmou que as garotas não tem um "bom modelo" de educação em casa. Após ser criticada, ela apagou o comentário

09:33 | 01/12/2014
NULL
NULL

As duas filhas do presidente dos Estados Unidos Barack Obama, Mala, de 16 anos, e Sasha, de 13 anos, foram duramente criticadas por uma assessora republicana.

 Elizabeth Lauten, diretora de comunicação do congressista Stephen Finchen criticou em uma publicação no Facebook as roupas e o comportamento das jovens durante um evento de Ação de Graças da Casa Branca. Ela ainda reclamou que as filhas de Obama pareciam entediadas nas fotos.

 "Eu sei que vocês duas estão no terrível período da adolescência, mas vocês são parte da família presidencial – tentem mostrar alguma elegância. Pelo menos respeitem o papel que desempenham”, escreveu Elizabeth.

 Ela ainda chegou a afirmar que as meninas não tinham um "bom modelo" de educação em casa.

 “Sua mãe e seu pai não respeitam suas posições muito bem, então deduzo que falta a vocês um pouco de ‘bom modelo. Ajam como se a Casa Branca importasse para vocês. Vistam-se como se merecessem respeito, não como se estivessem no bar”.

[SAIBAMAIS2]Após o comentário, a assessora foi duramente criticada. Segundo o jornal britânico Daily Telegraph, muitos pediram a demissão de Elizabeth. Uma das respostas ao post afirmou que sempre é possível discordar as políticas do presidente, “mas as crianças estão sempre fora disso”.

 Diante disso, Elizabeth apagou o post e pediu desculpas pelas críticas. Ela também admitiu que “julgou as duas jovens de uma forma que nunca teria desejado ser julgada quando adolescente”.

 “Gostaria de pedir desculpas a todos os que machuquei e peço que aprendam e cresçam (como posso garantir que aconteceu comigo) com esta experiência”, escreveu Elizabeth.

 O assessorado de Elizabeth, Stephen Finchen, não comentou sobre o assunto. Ele é conhecido por ter sido crítico da Ação de Barack Obama em relação aos imigrantes.

 

Redação O POVO Online

TAGS