PUBLICIDADE
Notícias

Completa seis meses do desaparecimento do avião da Malaysia Airlines

Parentes das vítimas chinesas do voo MH370 reuniram-se nesta segunda-feira, 8, partilhando sentimentos de tristeza e revolta

13:44 | 08/09/2014
NULL
NULL

Seis meses depois do desaparecimento do Boeing 777 da Malaysia Airlines, o paradeiro do avião continua sem pistas, apesar de as investigações indicarem que a aeronave caiu nas águas ao Sul do Oceano Índico.

Parentes das vítimas chinesas do voo MH370 reuniram-se nesta segunda-feira, 8, partilhando sentimentos de tristeza e revolta.

Durante cerimônia de oração em Pequim, 30 parentes denunciaram o que consideram ser a indiferença das autoridades chinesas.

Dos 239 passageiros e membros da tripulação do Boeing da Malaysia Airlines, 153 eram chineses.

[SAIBAMAIS3] 

O avião desaparecido decolou de Kuala Lumpur, na Malásia, na madrugada de 8 de março, com 239 pessoas a bordo e estava previsto para chegar a Pequim seis horas depois, mas sumiu subitamente dos radares cerca de 40 minutos depois da partida.

Diversos países empregaram vários meios aéreos e navais em ações de busca no Oceano Índico, mas sem quaisquer resultados.

As autoridades australianas, que coordenam a operação de busca, indicaram que dentro de duas semanas vai começar uma nova fase de buscas, com rastreio submarino em uma área que abrange cerca de 60 mil quilômetros quadrados, após o mapeamento de parte do fundo oceânico.

O Drama de quem aguarda respostas

Os seis meses dessa tragédia, ainda deixa esperança para quem tanto almejava o retorno de um ente querido.

A chinesa Li Ling aguardava ansiosamente o retorno do marido, que com sua formação de dentista não ganhava o suficiente para ter sua própria clínica.

Por conta disso, Bian Liangjing, 28, decidiu trabalhar em Cingapura para economizar dinheiro.

Além disso o retorno à china tinha outro objetivo. Ele veria o filho Haohao depois  um ano, data da partida dele a Cingapura.

Em oito de março deste ano, Bian embarcou no voo MH370, que saiu de Kuala Lumpur, na Malásia, com destino a Pequim. Mas sua chegada tão aguardada não aconteceu. O avião desapareceu com todos os 239 passageiros e tripulantes.

A lembrança do marido só em foto. Li e o filho vive com a família de Bian. Na casa várias fotos trazem a lembrança deste, que juntamente com outros 238 estão desaparecido e sem nenhuma respostas.

Sem saber o que fazer, Li diz ao filho que o papai, Bian, vai voltar em breve e que ele viajou para ganhar dinheiro. Segundo ela, o pequeno Haohao chama outras pessoas de “papai”.

 

Redação O POVO Online com Agências

 

TAGS