PUBLICIDADE
Notícias

China: declarações de Abe e Hagel são "provocativas"

10:10 | 01/06/2014
O vice-chefe de pessoal do Exército chinês, tenente-general Wang Guanzhong, acusou neste domingo autoridades do Japão e dos Estados Unidos de fazer declarações provocativas sobre a China, rebatendo críticas sobre as ações recentes de Pequim em áreas disputadas na Ásia.

Os comentários de Wang marcaram uma resposta ao secretário de Defesa dos EUA, Chuck Hagel, e ao primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, que usaram discursos na cúpula de segurança anual Shangri-La Dialogue em Cingapura para repreender a China por supostamente agir fora da lei internacional ao reivindicar áreas nos mares do Leste e do Sul da China. "Os discursos dos senhores Abe e Hagel são ações provocativas contra a China", afirmou o tenente-general ao público do mesmo evento.

O general, principal representante das Forças Armadas chinesas no Shangri-La Dialogue, disse ter sido surpreendido pelos discursos, que continham "críticas injustificadas" e pareciam estar coordenados para "organizar um desafio provocativo contra a China. No sábado, Hagel disse que a China tenta encerrar disputas por meio da coerção e acusou Pequim de tomar "medidas desestabilizadoras e unilaterais" no Mar do Sul da China. Na sexta-feira, Abe havia denunciado tentativas unilaterais - fora do direito internacional - de alterar o status quo estratégico na Ásia, embora sem mencionar explicitamente a China.

Wang disse que a China está comprometida com o desenvolvimento pacífico e observa processos adequados para lidar com disputas territoriais. Ele também se referiu a um novo conceito de segurança na Ásia mencionado recentemente pelo presidente chinês, Xi Jinping, que rejeita interferência externa nos assuntos internos e o uso de alianças militares. "A China nunca deu o primeiro passo para provocar problemas", disse o general em comentários que, segundo ele, se desviaram do discurso que havia preparado. "A China só foi forçada a responder às ações provocativas de outras partes."

Em contraste, o discurso de Hagel "está cheio de hegemonia, cheio de palavras de ameaça e intimidação", acusou Wang. "Foi um discurso... Para criar problemas e fazer provocações." Mesmo assim, o general disse ter preferido os comentários de Hagel aos de Abe. "Se eu fosse comparar as atitudes de Abe e Hagel, preferiria a de Hagel - é melhor ser mais direto", disparou Wang. O premiê japonês foi contra "o espírito deste Diálogo", afirmou o tenente-general. Fonte: Dow Jones Newswires.

TAGS