PUBLICIDADE
Notícias

Afeganistão realiza 2º turno presidencial

08:55 | 14/06/2014
Em meio à fortes medidas de segurança, os afegãos fizeram filas neste sábado para votar no segundo turno presidencial entre dois candidatos que prometem melhorar as relações com o Ocidente e lutar contra a corrupção, ao mesmo tempo que enfrentam uma poderosa insurgência taleban e a retirada da maioria das tropas estrangeiras ao final deste ano.

As urnas serão fechadas às 8h30 (de Brasília, 16h no horário local) e o resultado preliminar será conhecido em 2 de julho. O resultado final será publicado em 22 de julho.

Quem ganhar deverá reforças as forças de segurança do Afeganistão ante uma insurgência implacável e melhorar a economia e a infraestrutura do país, no momento em que a ajuda internacional ao Afeganistão está se esgotando.

Os protagonistas do duelo eleitoral do país são o ex-ministro de Relações Exteriores Abdullah Abdullah e o ex-funcionário do Banco Mundial e ex-ministro das Finanças Ashraf Ghani Ahmadzai. Ambos têm mais diferenças de personalidade do que em política.

Os dois se comprometeram a firmar um pacto de segurança com os EUA, há muito tempo esperado. Isso permitirá que cerca de 10 mil soldados norte-americanos permaneçam no país por dois anos a mais a fim de realizar operações antiterroristas e seguir treinando e assessorando o exército e a polícia afegã, ambos mal preparados.

Por esse motivo, os candidatos se distanciam do criticado atual presidente, Hamid Karzai, cujas relações com os EUA estão abaladas desde que ele negou em firmar o pacto de segurança com Washington.

Muitos eleitores disseram estar ansiosos que se firme um acordo de segurança bilateral, depois de verem como os extremistas islâmicos se apoderaram de grandes regiões do Iraque quase três anos depois dos soldados dos EUA terem se retirado do país.

"O Iraque está em chamas", disse Abbas Razaye, um comerciante de 36 anos, depois de votar em uma mesquita no oeste de Cabul. "Necessitamos de soldados estrangeiros neste momento, caso contrário se repetirá a história da guerra civil e o Afeganistão se deteriorará ainda mais que o Iraque."

O homem votou em Ahmadzai, dizendo que "ele é a pessoa mais adequada para trazer paz e segurança ao Afeganistão".

O mais característico do pleito são suas fortes medidas de segurança. Depois que os talebans pedirem que a população não votasse, os afegãos têm visto se multiplicar forças de segurança nas ruas para que incidentes sejam evitados.

"Hoje, nós afegãos votamos para conseguir um futuro melhor, um governo melhor e uma vida melhor", declarou o presidente Karzai, que está no poder desde 2001. Fonte: Associated Press.

TAGS