PUBLICIDADE
Notícias

Parlamento alemão cria CPI da NSA e quer ouvir Snowden

14:26 | 04/04/2014
Comissão Parlamentar de Inquérito deve durar dois anos. Ela deverá convidar para depor, além do delator americano, políticos e antigos e atuais chefes das agências de inteligência alemãs. O Parlamento alemão estabeleceu uma Comissão Parlamentar de Inquérito para tratar do caso da espionagem promovida pela Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA). A CPI deverá convidar Edward Snowden à Alemanha para depor. Snowden foi o responsável pelo vazamento de documentos secretos da agência, que revelaram práticas de espionagem americanas em várias partes do mundo. Na Alemanha, até o telefone celular da chanceler federal Angela Merkel teria sido alvo da espionagem. A decisão foi tomada na quinta-feira (04/04) em Berlim, durante a primeira reunião do Painel de Estudos dos Dados da Espionagem, que lida, entre outros casos, com o da NSA. A comissão, composta por representantes de todos os partidos representados no Parlamento, serve como uma demonstração de que "a espionagem maciça dos cidadãos é inaceitável", afirmou o presidente da CPI, Clemens Binninger, da União Democrata Cristã (CDU). Ainda não é certo se Snowden, atualmente asilado na Rússia, poderá de fato vir a Berlim. O parlamentar do Partido Verde Christian Ströbele destacou a importância de Snowden depor pessoalmente à Comissão, afirmando que um questionário por escrito dificilmente traria algum fato novo. No ano passado, Ströbele se encontrou pessoalmente com Snowden em Moscou. O deputado diz que não compartilha das preocupações do vice-chanceler federal Sigmar Gabriel quanto à segurança de Snowden, que uma vez em território alemão poderia se tornar alvo dos serviços de inteligência americanos. Segundo o parlamentar, o governo alemão poderia lhe dar residência e garantir sua segurança. Reino Unido também investigado A decisão final sobre o convite a Snowden para depor na Alemanha deverá vir na próxima reunião da comissão, afirmou a parlamentar do partido A Esquerda Martina Renner. O trabalho da CPI deverá ter dois anos de duração. Além das práticas de espionagem dos Estados Unidos, Reino Unido e até do Canadá, a comissão quer obter informações de uma possível participação das agências de inteligência da Alemanha. A segurança dos dados de empresas e organizações, e não apenas dos cidadãos, também deve ser averiguada. Binninger afirmou que a comissão começará a interrogar as testemunhas em junho. Entre os que vão depor estarão o ministro do Exterior da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, o ex-chefe de gabinete da chancelaria federal Ronald Pofalla e os antigos e atuais chefes dos serviços de inteligência alemães. A Alemanha rejeitou o direito de residência no país a Snowden. O porta-voz do governo, Steffen Seibert, comentou nesta sexta-feira que as autoridades já haviam concluído anteriormente que as condições para a concessão de asilo ou residência não eram satisfatórias. RC/rtr/dpa

TAGS