PUBLICIDADE
Notícias

Letônia e Lituânia suspendem canais de emissora russa

16:20 | 07/04/2014
A Letônia está se juntando à Lituânia na proibição de transmissões internas da televisão estatal russa, após avaliar que vários programas sobre a crise na Ucrânia eram tendenciosos ou estavam em desacordo com interesses de segurança dos países bálticos. A suspensão por três meses das transmissões de todos os programas do canal Rossiya RTR começa em 8 de abril, na sequência de uma decisão do Conselho Nacional de Comunicação Social Eletrônica, disse a porta-voz do órgão, Sanita Blomniece, nesta segunda-feira.

Segundo o conselho, a decisão foi motivada por uma investigação da Polícia de Segurança da Letônia, que descobriu que acontecimentos na Ucrânia no mês passado foram apresentados em várias reportagens da Rossiya de uma forma que justifica uma "agressão militar contra um Estado soberano". O órgão também salientou que as matérias eram "dominadas pela visão de que, apesar do direito internacional, o presidente da Federação Russa tem todo o direito de usar os militares na Ucrânia para defender falantes de russo."

Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo em Moscou denunciou a decisão da Letônia. Pnsyantin Dolgovsaid disse no Twitter que a suspensão das transmissões por parte da Letônia é "a mais recente tentativa de censurar informação inconveniente e uma violação dos direitos fundamentais sobre o acesso a meios de comunicação".

A proibição letã ocorre após uma suspensão semelhante por parte da vizinha Lituânia das transmissões do canal RTR Planeta por três meses, depois que o órgão de acompanhamento da mídia de Vilnius ter considerado um programa de notícias semanal de 2 março sobre a Ucrânia tendencioso. Hoje o Tribunal Regional de Vilnius confirmou a decisão do conselho.

Os dois canais RTR são de propriedade da emissora estatal russa VGTRK.

Todos os três Estados bálticos - Letônia, Lituânia e Estônia - têm consideráveis minorias de russos étnicos e estão cada vez mais preocupados com as ações do Kremlin contra a Ucrânia e sua declaração de que irá proteger os russos no exterior. Fonte: Associated Press.

TAGS