PUBLICIDADE
Notícias

EUA reavaliarão papel em discussão no Oriente Médio

11:20 | 04/04/2014
O governo Obama irá reavaliar o seu papel na intermediação das negociações de paz no Oriente Médio após as ações de Israel e dos palestinos que levaram a um impasse no processo, disse o secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, nesta sexta-feira.

Um Kerry visivelmente pessimista, que passou a maior parte de seu mandato de 14 meses como principal diplomata dos Estados Unidos tentando persuadir as partes a negociar, evitou decretar o fim do processo de paz. Mas, em sua avaliação mais pessimista da situação desde que as negociações começaram no verão passado do Hemisfério Norte com a meta de final de atingir um acordo no fim de abril, Kerry deixou claro que sua paciência estava perto de esgotar. Ele disse que era hora de um "teste de realidade". "É lamentável que nos últimos dias ambos os lados tomaram passos que não ajudam (o processo) e isso é evidente para todo mundo", salientou.

Falando a repórteres em Rabat, no Marrocos, antes de viajar a Casablanca para uma reunião com o rei do Marrocos, Kerry disse que as negociações de paz entre israelenses e palestinos não podem continuar ocupando tanto do seu tempo se ambos os lados não conseguem tomar pequenos passos para garantir o êxito das negociações. Ele assinalou que há outros assuntos urgentes, como a crise na Ucrânia e na Síria, assim com as negociações com o Irã sobre o seu programa nuclear, que exigem atenção. "Há limites para a quantidade de tempo e esforço que os Estados Unidos podem gastar se as próprias partes são incapazes de tomar medidas construtivas. Vamos avaliar com muito cuidado exatamente em que pé isso está e onde pode, eventualmente, ser capaz de chegar."

O secretário se encontrou com Netanyahu em Israel na segunda-feira e com Abbas na Jordânia na semana passada, mas cancelou uma viagem para o Oriente Médio na quarta-feira depois de os palestinos afirmarem que buscariam maior reconhecimento dentro das Nações Unidas (ONU). Abbas anunciou a medida depois que Israel se recusou a libertar um grupo de prisioneiros palestinos. As duas ações contrariam o acerto alcançado por ambos os lados no ano passado para negociar um acordo até o fim de abril.

Kerry disse que retornará aos EUA na sexta-feira e consultará o presidente dos EUA, Barack Obama, e outros conselheiros de segurança nacional sobre como proceder daqui para a frente na negociação. Fonte: Associated Press.

TAGS