PUBLICIDADE
Notícias

Satélite japonês detecta dez objetos no Oceano Índico

11:50 | 27/03/2014
O governo do Japão disse nesta quinta-feira que um de seus satélites detectou alguns objetos no Oceano Índico, 2.500 quilômetros a sudoeste de Perth, oferecendo uma nova pista para as buscas pelo avião da Malaysia Airlines desaparecido. O satélite localizou cerca de 10 objetos flutuando em um raio de 10 quilômetros, assinalou um porta-voz do gabinete do Centro de Inteligência de Satélites do país. O maior dos objetos tem 8 metros de comprimento e 4 metros de largura.

Segundo o porta-voz, o Japão informou ao governo malaio mais cedo sobre a descoberta, mas não divulgará as imagens de satélite por preocupações com segurança. "Nosso objetivo é ajudar na busca pela aeronave desaparecida", apontou o porta-voz. Apesar da continuidade das buscas e de satélites terem detectado objetos flutuando, autoridades não conseguiram recuperar qualquer destroço até agora do avião, que desapareceu com 239 pessoas a bordo no dia 8 de março, quando fazia o voo MH370 entre Kuala Lumpur e Pequim. Nesta quinta-feira, o clima desfavorável reduziu o escopo das buscas.

Mais cedo, o diretor da agência de desenvolvimento de tecnologia espacial da Malásia, Anond Snidvongs, havia dito que um satélite malaio detectou em torno de 300 objetos, de 2 a 16 metros de comprimento, cerca de 2.700 quilômetros a sudoeste de Perth. As imagens, feitas na segunda-feira pelo satélite Thaichote, levaram dois dias para serem processadas e foram entregues às autoridades responsáveis pelas buscas hoje. Os objetos estavam cerca de 200 quilômetros a sudoeste da área onde um satélite francês detectou no domingo 122 objetos. Não está claro se os satélites mostraram os mesmos objetos. As correntes no oceano podem ter velocidade de um metro por segundo (2,2 metros por hora), eo vento também pode movimentar os materiais.

Os anúncios ocorreram depois que a Autoridade de Segurança Marítima da Austrália (AMSA, na sigla em inglês) afirmar que recolheu todos os aviões que participariam das buscas hoje por causa da chuva forte, ventos e nuvens baixas. Cinco navios permaneceram nos trabalhos de procura pela aeronave. Oito aviões conseguiram se aproximar da área de buscas, localizada cerca de 2.500 quilômetros a sudoeste de Perth antes de a procura aérea ser suspensa, disse o porta-voz da AMSA Sam Cardwell. Em mensagem em sua conta no Twitter, a AMSA disse que o tempo ruim deve continuar por 24 horas.

Na quarta-feira, o diretor do FBI, James Comey, disse a membros do Congresso norte-americano que seus investigadores devem concluir em um dia ou dois a análise dos dados eletrônicos do piloto e copiloto, trabalho que inclui a tentativa de recuperar arquivos apagados do simulador de voo doméstico usado pelo piloto, Zaharie Ahmad Shah. O filho de Zaharie, Ahmad Seth, rejeitou a ideia de que seu pai seria culpado pelo desaparecimento do avião em entrevista publicada nesta terça-feira pelo jornal New Straits Times. "Eu li tudo online. Mas ignorei toda a especulação. Eu conheço meu pai melhor", assinalou. Fonte: Associated Press e Dow Jones Newswires.

TAGS