PUBLICIDADE
Notícias

Em protesto, artista quebra vaso avaliado em mais de R$ 2 Milhões, exibido em museu americano

17:50 | 18/02/2014
NULL
NULL

Em visita ao Pérez Art Museum, em Miami, no estado americano da Flórida, Máximo Caminero, 51, nascido na República Dominicana, atirou ao chão um dos 16 jarros do artista e dissidente chinês Ai Weiwei. O vaso, avaliado em U$$ 1 milhão (R$ 2,39 milhões), é um dos 16 jarros da obra “Colored Vases” (Vasos coloridos) e parte da exposição “According To What” (De acordo com o que?).

Caminero, que disse ser pintor, foi preso por prejuízo criminoso e se defendeu argumentando que a ação era um protesto ao museu, por exibir apenas arte internacional.

“Eu vi como uma provocação de Weiwei para se juntar a ele num ato de protesto”, disse, referindo-se as fotografias do artista, em que aparece derrubando um dos vasos.

Em entrevista ao The New York Times, Ai Weiwei disse que “o argumento de Caminero não justifica o ato.”, mas que “Um trabalho é um trabalho. Uma coisa física. O que podemos fazer com isso?”

 

Redação O POVO Online

TAGS