PUBLICIDADE
Notícias

Hillary Clinton não descarta candidatura presidencial para 2016

08:54 | 28/01/2013
AFP
AFP

A secretária americana de Estado, Hillary Clinton, não descartou a possibilidade de uma eventual candidatura às eleições presidenciais de 2016, durante uma entrevista concedida à rede de televisão CBS junto ao presidente Barack Obama.

"Ainda sou secretária de Estado e, consequentemente, não posso nem sequer atender a este tipo de pergunta" sobre as próximas eleições presidenciais, disse Hillary no programa "60 Minutes", poucos dias antes de deixar o cargo, que será ocupado por John Kerry.

"O presidente e eu nos preocupamos enormemente pelo futuro de nosso país e não acredito que nem ele nem eu possamos fazer previsões sobre o que acontecerá amanhã ou no próximo ano", disse a chefe da diplomacia americana ao lado de Obama.

Nesta rara entrevista conjunta gravada na Casa Branca, cujos alguns trechos foram divulgados na sexta-feira, o presidente não poupou elogios a sua rival nas duras primárias democratas de 2008.

"Queria simplesmente ter a possibilidade de agradecer a ela publicamente, porque acredito que Hillary estará" entre os melhores chefes do departamento de Estado da história americana, acrescentou.

"Estabelecemos uma linda colaboração nestes quatro anos. Vou sentir a falta dela", disse o presidente, reiterando que teria gostado que a esposa do ex-presidente Bill Clinton (1993-2001) permanecesse no cargo nos próximos quatro anos.

Hillary Clinton, de 65 anos, não deu até agora informações claras sobre seu futuro, mas os meios de comunicação políticos de Washington estão convencidos de que em novembro de 2016 será candidata à presidência.

Muito popular e tratada frequentemente como uma celebridade, a secretária de Estado repete há meses que deseja "voltar a ter uma vida particular" e desmente, sem muita convicção, que pensa em tentar novamente chegar à Casa Branca.

Em 2008, Obama a derrotou nas primárias democratas. A reconciliação entre ambos foi cuidadosamente encenada antes das presidenciais de novembro daquele ano, e Obama surpreendeu posteriormente propondo a ela o cargo de chefe da diplomacia da maior economia mundial.

A relação entre Obama e o casal Clinton modela o campo democrata há anos. Adversários políticos antes de se transformarem em aliados, Hillary Clinton e Barack Obama se tornaram amigos.

"Considero Hillary uma sólida amiga", respondeu o presidente quando perguntado sobre seu vínculo com sua secretária de Estado, que, por sua vez, também teceu elogios ao presidente, sem negar as profundas diferenças que mantêm.

Obama deixará a Casa Branca ao término de seu segundo mandato, no dia 20 de janeiro de 2017, e para sucedê-lo os democratas analisam os nomes de Clinton e do atual vice-presidente, Joe Biden.

"Vocês, jornalistas, são incorrigíveis: prestei juramento há apenas quatro dias e já estão falando das eleições daqui a quatro anos", brincou o presidente.

 

AFP

TAGS