Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Memorial que homenageia Bezerra de Menezes é inaugurado em Fortaleza

Espaço está localizado em um dos Castelinhos da Praça Luiza Távora, no bairro Aldeota. Visitação ao público deve ser liberada a partir da próxima semana

Foi inaugurado nesta quarta-feira, 22, em Fortaleza, o memorial que homenageia o escritor, politico e médico cearense Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti, o Bezerra de Menezes. Localizado em um dos Castelinhos da Praça Luiza Távora, no bairro Aldeota, o espaço reúne um rico acervo fotográfico e documental que mostra como Bezerra se tornou um dos brasileiros mais influentes do século XIX.

O projeto é capitaneado pelo historiador Luciano Klein, que em novembro do ano passado publicou o livro “Bezerra de Menezes - O homem, seu tempo e sua missão”, obra de quase 1.200 páginas que levou mais de três décadas para ser escrita.

Nascido em 1831, no então município de Riacho do Sangue –hoje Jaguaretama– no Médio Jaguaribe, Bezerra de Menezes mudou-se ainda jovem para o Rio de Janeiro, onde cursou medicina, ingressou na política e se tornou um dos maiores expoentes da Doutrina Espírita no Brasil.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Em terras cariocas, ele foi apelidado de "médico dos pobres" por dispensar pagamento de consultas às pessoas carentes que precisavam de seu serviço. A caridade se reverteu em forte apelo popular e levou Bezerra a quatro mandatos parlamentares, dois como vereador do Rio de Janeiro e dois como deputado federal. Na política, ele também se destacou pela defesa enfática dos mais humildes e necessitados, posição que manteve ao longo dos mais de 30 anos enquanto esteve ocupando cargos públicos.

Em 1875, após encerrar a carreira política, Bezerra abraçou outra missão: o espiritismo. Como estudioso da doutrina, escreveu vários artigos e fundou a primeira livraria espírita do Brasil. Em 1889, se tornou presidente da Federação Espírita Brasileira, função que exerceu até a sua morte, em abril de 1900.

No memorial dedicado ao médico, há escritos, fotografias e documentos que retratam os momentos mais marcantes da trajetória de vida dele. "Doutor Bezerra foi e continua sendo o protótipo de um verdadeiro homem de bem. Alguém que lutou pela paz no mundo, que viveu em função do semelhante", afirmou o historiador Luciano Klein, responsável pela montagem do acervo. "Foi um longo processo de garimpagem, em que fizemos muitos contatos, principalmente com os familiares dele, seja aqui no Ceará ou no Rio de Janeiro", explicou.

Há mais de três décadas debruçado em estudos sobre a vida de Bezerra, Klein fala com propriedade sobre o legado do médico cearense para o País. "Ele é talvez hoje o cearense mais conhecido a nível nacional. Não há no Brasil um só estado que não tenha onde não haja uma instituição que o homenageia, como creche, orfanato, asilo de idosos, centros espíritas, além de ruas, avenidas e rodovias que levam seu nome", ressaltou.

Funcionamento 

Criado por uma associação civil sem fins econômicos, de personalidade jurídica, o memorial utiliza as instalações do Castelinho por meio de um termo de autorização de uso pactuado entre a entidade e o Governo do Estado. De acordo com o diretor do equipamento, Chico Soares, o espaço estará disponível para visitações já na próxima semana. "Ainda vamos definir o dia de abertura e qual será o horário de funcionamento", afirmou.

"As pessoas podem vir aqui fazer pesquisas, reflexões, orações, e conhecer um pouco mais sobre a trajetória do Dr. Bezerra de Menezes, um dos cearenses e brasileiros mais importantes da nossa história. A nossa intenção é democratizar ao máximo o acesso à história de vida dele", destacou, acrescentando que a entrada para visitações será gratuita.

Família presente

A inauguração do espaço foi testemunhada por um parente em linha reta do homenageado. Trata-se do médico veterinário Carlos Autran, 80, sobrinho-trineto de Bezerra. Para ele, a criação do memorial ajuda a materializar e eternizar a história de vida do familiar. "É uma forma de manter vivo o imenso legado dele para a nossa sociedade. Sou um privilegiado em poder testemunhar isso e saber que um familiar se destacou por ajudar a construir um mundo melhor, priorizando as pessoas e a paz como bem comum", disse.

Além do material que conta a historia de vida de Bezerra de Menezes, o memorial também conta com uma uma sucursal da Livraria Sinal Verde, da Federação Espírita do Estado do Ceará (Feec), com obras de caráter espiritista e espiritualista. O espaço também dedica uma seção à memória de grandes pacifistas, como Gandhi, Nelson Mandela, Martin Luther King e Madre Teresa de Calcutá.

OUÇA O PODCAST VOO 168 BASTIDORES

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar