Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Pôr do sol laranja, vermelho ou roxo em Fortaleza: entenda o fenômeno

A coloração diferente se dá, majoritariamente, quando há uma maior presença de materiais particulados e outros poluentes em suspensão no ar, além de dias sem chuva

Quem está em Fortaleza tem visto um pôr do sol cada dia mais exuberante. Nas redes sociais, moradores da Capital cearense exibem fotos e vídeos do céu com nuvens, muitas vezes com aspecto laranja, avermelhado ou até mesmo roxo. A explicação para esse fenômeno óptico deve-se ao fato de a luz solar entrar em contato com diferentes materiais em suspensão no ar, no momento em que a coloração está sendo observada.

O meteorologista da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), Lucas Fumagalli, explica: "A coloração diferente se dá, majoritariamente, quando há uma maior presença de materiais particulados e outros poluentes em suspensão no ar, além de dias sem chuva".

Esses materiais em suspensão podem ser derivados da umidade ou da presença de gases, como o carbônico, derivados da queima de combustíveis e queimadas e atividades industriais.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Podem ser de diversos formatos, tamanhos e constituição diferente, sólido, líquidos ou gasosos. A radiação solar é branca, mas quando intercepta esses materiais ocorre o espalhamento da cor”, informa Lucas.

O que determina a cor do céu?

Alguns fatores determinam o pôr do sol espetacular que estamos vendo ultimamente em Fortaleza. O fator inicial é a presença ou ausência de umidade.

"Os meses da quadra chuvosa - fevereiro até maio - tiveram uma concentração de umidade grande. Nos últimos meses, a gente não tinha uma quantidade muito grande de material suspeito na atmosfera, porque havia muita chuva, grande parte do material suspenso era levado até a superfície e ficava depositada ali", explica o metereologista Lucas Fumagalli.

"Como estamos entrando na época da pós-quadra chuvosa, para um período mais seco, mais materiais devem ficar suspensos na atmosfera. Tudo isso condiciona para que tenhamos um pôr do sol com uma condição mais amarelada. Isso deve se manter durante todo o período mais seco", conta Lucas.

Pôr do sol na orla de Fortaleza: espetáculo da natureza
Pôr do sol na orla de Fortaleza: espetáculo da natureza (Foto: SAmuel Setubal/Especial para O Povo)

Além disso, no início e no fim do dia, o Sol está posicionado no horizonte. Neste período, os raios solares atravessam um caminho mais longo até nós, fazendo com que haja uma intercepção maior de material particulado em suspensão na atmosfera.

"O céu mais alaranjado não se apresenta assim ao meio-dia, por exemplo, pois a atmosfera da Terra é fina, e os raios solares atravessam facilmente a espessura da atmosfera, sem tantas interferências ou reações", acrescenta o meteorologista.

O que são esses materiais suspensos na atmosfera?

Céu fica com cores bonitas no entardecer em Fortaleza
Céu fica com cores bonitas no entardecer em Fortaleza (Foto: SAmuel Setubal/Especial para O Povo)

As fontes desses materiais que ficam suspensos no ar são naturais ou antropogênicas. O primeiro fator de mudança da cor do Sol é a presença ou não da umidade, como mencionado.

Nos casos de umidade alta, o céu costuma estar com um aspecto mais roxo, puxando para o tom rosa. Sem umidade, o céu apresenta uma tonalidade mais amarelada ou alaranjada.

Outros materiais são gás carbônico, gases derivados da queima de combustíveis, queimadas e atividades industriais. 

"Quem também pode influenciar na vista do céu são os compostos químicos, que provocam graves desequilíbrios no efeito estufa da Terra. A presença de dióxido de carbono influi para que tenhamos um céu com uma coloração mais amarelada, por causa da coloração do próprio material particulado. Já na presença de fumaça, temos um céu mais acinzentado, com a coloração do sol mais avermelhada”.

Além disso, se tivermos uma atmosfera com muito vento, o material particulado tende a ser dispersado mais facilmente. Já numa atmosfera com pouco vento, o material fica mais concentrado, isso interfere na coloração do céu.

“Por fim, esse espetáculo no céu depende da constituição dos materiais, do que está sendo lançado e das condições da atmosfera”, finaliza o metereologista Lucas Fumagalli.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar