Participamos do

UFC recebe doação de hospital que está sendo construído no Porangabussu

A expectativa é de que o equipamento tenha capacidade para realizar 14.800 exames e 1.084 internações por mês
10:45 | Nov. 22, 2021
Autor Marcela Tosi
Foto do autor
Marcela Tosi Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O complexo de saúde da Universidade Federal do Ceará (UFC), no campus do Porangabussu, em Fortaleza, ganhará uma nova unidade hospitalar. Isso porque o Instituto de Ciências Médicas Paulo Marcelo Martins Rodrigues (ICM) decidiu doar à Universidade as instalações de um edifício e o terreno que a obra ocupa. O prédio está em construção, que passa a ser responsabilidade da UFC. 

A Universidade já tinha o direito de ocupar parte do imóvel, devido a um convênio celebrado para que o hospital fosse construído e passasse a ser local de formação para os estudantes da Faculdade de Medicina. Com a doação, o domínio será integral, tanto do equipamento de saúde quanto do terreno que ocupa, até então propriedade do ICM.

Os projetos arquitetônicos e de engenharia, que também foram doados, detalham a construção dos dez pavimentos. São previstos dez pavimentos e cerca de 23,5 mil m² de área construída. A expectativa é de que o equipamento tenha capacidade para realizar 14.800 exames e 1.084 internações por mês.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Veja como o hospital foi pensado:

 

Térreo – Recepção, Pronto Atendimento e Laboratório de engenharia

1º pavimento – Salas de Hemodinâmica, Ressonância e Tomografia

2º pavimento – Salas de Ecocardiograma e de Ergometria, e Instituto de ensino e pesquisa

3º pavimento – Medicina Nuclear e salas de endoscopia

4º pavimento – 34 leitos de internação

5º pavimento – 34 leitos de internação

 

6º pavimento – 17 leitos de internação

7º pavimento – Unidade Semi-Intensiva com 16 quartos individuais

8º pavimento – Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Geral com 10 leitos e UTI Cardiológica com 9 leitos

9º pavimento – Centro Cirúrgico com 06 salas de cirurgia

10º pavimento – Área Técnica

Segundo o ICM, os recursos para a construção vieram da iniciativa privada e da destinação de emendas parlamentares.

Previsão de funcionamento era 2018

 

O hospital começou a ser construído em 2007 e conforme o presidente do ICM, o ex-secretário estadual da Saúde Carlos Roberto Martins Sobrinho (o Dr. Cabeto), recebeu R$ 42 milhões em investimentos. Destes, R$ 7 milhões foram provenientes de emenda parlamentar de autoria do senador Tasso Jeireissati e R$ 35 milhões de doações de benfeitores.

Em 2016, O POVO acompanhou o início da segunda fase de obras do hospital do ICM. Na época, o investimento estimado era de R$ 79 milhões e as obras haviam atingido 40% do projeto, avançando na na medida em que havia caixa.

A cardiologia seria a principal especialidade atendida no equipamento e havia previsão de começar a atender no início de 2018. Hoje, o hospital ainda segue em construção. "Parou há 1 ano e sete meses, por conta da pandemia de Covid-19", explica Cabeto.

Ainda segundo o presidente do ICM, "está construída toda a área de engenharia e agora começam as instalações e acabamentos". "Entregar (o hospital àUFC) sempre foi o objetivo e a gente acredita que agora é o momento mais oportuno. Está na hora de mostar à sociedade o potencial do Sistema Único de Saúde (SUS) e demonstrar à classe política que a Saúde deve ser prioridade, tem que estar incluída no orçamento e pode contar com doações", completa.

*Esta matéria foi atualizada às 14h30min

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente