PUBLICIDADE
Fortaleza
Noticia

Operação na Comunidade Rosalina prende dois suspeitos de homicídios

As prisões ocorreram na manhã da última sexta-feira, 23. Uma arma de fogo foi apreendida. Um terceiro suspeito foi baleado em troca de tiros com a Polícia e morreu

14:49 | 26/07/2021
Coletiva da Polícia Civil na manhã desta segunda-feira, 26, sobre a prisão de suspeitos de homicídio na Comunidade Rosalina (Foto: Foto: Polícia Civil)
Coletiva da Polícia Civil na manhã desta segunda-feira, 26, sobre a prisão de suspeitos de homicídio na Comunidade Rosalina (Foto: Foto: Polícia Civil)

Dois homens investigados por homicídios foram presos, na manhã desta sexta-feira, 23, na Comunidade Rosalina, no Parque Dois Irmãos, na periferia de Fortaleza. As detenções ocorreram em cumprimento de mandado de prisão em aberto. Francisco Ermesson de Oliveira Lima, 26, conhecido como Neguim, já responde por homicídio e receptação. Ele era o alvo principal da ação por ser o chefe do tráfico na região. Além dele, Francisco Douglas Lima da Silva, 26, que já responde por homicídio e furto, também foi detido. Ainda durante a ação, um terceiro suspeito trocou tiros com os policiais civis e acabou morrendo.

As informações foram repassadas em coletiva de imprensa, no fim da manhã desta segunda-feira, 26, na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no Bairro de Fátima. Francisco Ermesson é suspeito de exercer chefia na região, além de, com outros dois comparsas, ser apontado como mandante de homicídios nas cidades de Quixadá, Ibaretama e Ibicuitinga, no Sertão Central do Estado.

 

Coletiva da Polícia Civil sobre a prisão de suspeitos de homicídio na Comunidade Rosalina; arma apreendida durante a ação
Coletiva da Polícia Civil sobre a prisão de suspeitos de homicídio na Comunidade Rosalina; arma apreendida durante a ação (Foto: Foto: Polícia Civil)

Além de “Neguim”, foi capturado Francisco Douglas Lima da Silva, 26, que já responde por homicídio e furto. Ele também estava com mandado de prisão em aberto. Ainda durante a ofensiva policial, um terceiro suspeito trocou tiros com os policiais civis e não resistiu aos ferimentos.

O suspeito que morreu na ação, Lucas Tadeu Batista, 22, que já respondia pelo crime de homicídio. Assim como os outros dois alvos, ele também estava com mandado de prisão em aberto. A arma apontada como a usada por ele para disparar contra os policiais, um revólver calibre 38, foi apreendida.

O delegado Harley Filho, que comandou a operação, afirmou que, no ato da operação policial, as equipes foram no local indicado, outros dois indivíduos empreenderam fuga, um deles com arma em punho passou dar disparos contra as equipes policiais, que revidaram. “Esse alvo (Lucas Tadeu) foi alvejado, socorrido ao hospital, não resistiu aos disparos e veio a óbito. É interessante destacar que tanto esta pessoa, o Tadeu, bem como o segundo alvo que se rendeu (Emerson) possuía um mandado de prisão preventiva em aberto por crime de homicídio”, informa.

A ação foi coordenada pela Polícia Civil, por meio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), e contou com o apoio operacional da Polícia Militar, além de informações da Coordenadoria de Inteligência (Coin) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e dos Departamentos de Inteligência Policial (DIP) e de Polícia Judiciária do Interior Sul, da Polícia Civil.