PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Suspeito de envolvimento em crimes ligados a conflitos entre facções é preso em Fortaleza

Adilson Loiola de Souza, 20, conhecido como "Bigodin", possui antecedentes criminais por homicídio, porte ilegal de arma de fogo e é suspeio de integrar grupo criminoso

15:22 | 19/07/2021
Armas, munições e celulares foram apreendidos durante prisão de acusado de crimes (Foto: Foto: Polícia Civil)
Armas, munições e celulares foram apreendidos durante prisão de acusado de crimes (Foto: Foto: Polícia Civil)

Um jovem de 20 anos foi preso no bairro Edson Queiroz, em Fortaleza, suspeito de homicídio qualificado e de integrar organização criminosa. Adilson Loiola de Souza, conhecido como “Bigodin”, possui antecedentes criminais por homicídio e porte ilegal de arma de fogo. “Bigodin” é investigado pela participação de diversos crimes, inclusive um registrado em setembro de 2020, o assassinato de Wires Henrique Castro de Andrade, 18, por uma guerra entre facções criminosas.

Adilson também foi autuado em flagrante por posse irregular de arma de fogo e receptação. Na época do crime, segundo o Ministério Público do Ceará (MPCE), Wires Henrique foi abordado por suspeitos que estavam em via pública e dispararam contra ele. O homem foi levado a uma unidade de saúde, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O homicídio de Wires ocorreu, segundo o MPCE, em retaliação à outra morte, de Valério Lima da Silva, 27, que seria integrante da mesma organização criminosa da qual "Bigodin" faria parte.

Conforme a Polícia Civil, Valério foi morto após se mudar para o conjunto Yolanda de Queiroz. Ele teria sido acusado pela Guardiões do Estado (GDE) de repassar informações para o Comando Vermelho (CV). A vítima foi “julgada” e executada por Wires Henrique, conhecido como General, suposto integrante da GDE.

Investigação

 

Com as informações sobre os crimes, policiais civis do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) identificaram indícios suficientes da participação de Adilson no homicídio. Ainda segundo levantamentos investigativos, Adilson é integrante de uma organização criminosa com atuação direta em crimes no bairro Edson Queiroz. Com isso, a Polícia Civil representou pela prisão preventiva dele.

Com a decisão judicial em mãos, os agentes da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) iniciaram um levantamento sobre o possível paradeiro de “Bigodin”. O alvo estava residindo no Rio de Janeiro, mas retornou ao Ceará no primeiro semestre deste ano e escolheu o bairro Edson Queiroz para morar. Com apoio de policiais civis da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), o investigado foi capturado em um imóvel.

Além do cumprimento do mandado de prisão preventiva, o alvo foi autuado em flagrante por posse irregular de arma de fogo e receptação, pois a arma, um revólver calibre 38, é fruto de roubo. Com isso, ele e todo o material foram conduzidos à sede da Draco, onde foram realizados todos os procedimentos cabíveis.