PUBLICIDADE
Fortaleza
Noticia

Grupo criminoso usava dados de outros estados para dar golpes em Fortaleza

A Polícia prendeu um dos suspeitos de integrar o grupo criminoso. Eles adquiriam aço e ferro por meio de televendas usando cartões de outras pessoas

13:22 | 06/07/2021
Delegado Fernando Cavalcante, titular do 32º Distrito Policial, durante coletiva nesta terça-feira, 6 (Foto: Foto: Angélica Feitosa)
Delegado Fernando Cavalcante, titular do 32º Distrito Policial, durante coletiva nesta terça-feira, 6 (Foto: Foto: Angélica Feitosa)

Um homem foi preso em flagrante suspeito de estar envolvido em um esquema de compras fraudulentas em Fortaleza. Segundo a Polícia Civil, José Ailson Façanha Galeno Júnior, 34, sem antecedentes criminais, comprava grande quantidade de material de construção, como aço, ferro e madeira, usando cartões de crédito de terceiros, normalmente de pessoas de outros estados, por meio do telefone. Ele foi preso em flagrante na tarde dessa segunda-feira, 5, no bairro Castelão, quando fazia uma entrega de aço. A Polícia investiga de que modo a quadrilha conseguia os números dos cartões de crédito usados indevidamente.

Um segundo homem envolvido no esquema já foi identificado e, de acordo com o delegado Fernando Cavalcante, titular do 32º Distrito Policial, no Centro, a advogada do suspeito informou que deve apresentá-lo nos próximos dias. A Polícia apreendeu com o homem preso duas máquinas de cartão de crédito e dois celulares. As informações foram divulgadas pela Polícia em coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira, 6.

De acordo com o delegado, o golpe foi descoberto em outra tentativa de aplicá-lo na semana passada. Uma empresa de material de construção vendeu R$ 26 mil em aço para o homem já identificado pela Polícia, com cartões de terceiros usados de forma indevida. O comprador contratou José Ailson para transportar a carga de caminhão e vender o material. Após investigação, a Polícia descobriu o local de uma nova entrega e realizou a prisão. Ainda segundo o delegado, os golpistas utilizavam cartões de crédito de pessoas de outros estados exatamente para dificultar que fossem descobertos e, já que não possuíam os cartões, usavam a televendas, informando o número do cartão por telefone.

O material apreendido deve ser encaminhado à Perícia Forense do Ceará.