PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Justiça recomenda avanço nas negociações de greve dos motoristas de ônibus

Às lideranças dos sindicatos, o desembargador Paulo Régis Machado Botelho recomendou avanço nas negociações. Ele elogiou a condução das negociações por parte das categorias envolvidas e o empenho em busca de solução do conflito

22:13 | 15/06/2021
 Estavam presentes na sessão conciliatória representantes do Sindiônibus e do Sintro (Foto: Reprodução/YouTube)
Estavam presentes na sessão conciliatória representantes do Sindiônibus e do Sintro (Foto: Reprodução/YouTube)

A Justiça do Trabalho do Ceará realizou nesta terça-feira, 15, segunda discussão no âmbito de ação judicial relativa à greve de trabalhadores do transporte público de Fortaleza. O presidente da Seção Especializada I do Tribunal Regional do Trabalho do Ceará (TRT/CE), desembargador Paulo Régis Machado Botelho, dialogou com as partes envolvidas sobre audiências anteriores com o Ministério Público do Trabalho no Ceará (MPT-CE) e outra prevista para a próxima quinta-feira, 17.

Às lideranças dos sindicatos, Botelho recomendou avanço nas negociações. Ele declarou que aguarda confirmação da continuidade da suspensão da greve até que seja realizada a última audiência. Estavam presentes na sessão conciliatória representantes do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado (Sindiônibus) e do Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários do Estado (Sintro).

LEIA MAIS | "Ninguém entende por que motoristas ficaram de fora da vacinação", diz desembargador

Também participaram da audiência o procurador do município de Fortaleza, Guilherme Rodrigues de Oliveira, e a procuradora-chefe do Ministério Público do Trabalho do Ceará, Mariana Férrer. O desembargador elogiou a condução das negociações por parte das categorias envolvidas e o empenho em busca de solução do conflito. O TRT se organiza em nova audiência na próxima terça-feira, 22, às 11 horas. Assista à audiência desta terça-feira:

Durante a sessão, o presidente do Sindiônibus, Dimas Barreira declarou que está tentando encontrar a melhor solução para o conflito com a categoria dos motoristas. “Precisamos encontrar maneiras de evitar maiores prejuízos. Nesse sentido, quero agradecer todas as autoridades pela atenção e pelo espaço que vêm nos dando”, disse.

Com a intervenção do MPT e do Judiciário Trabalhista, os motoristas têm se sentido mais motivados a negociar, declarou o presidente do Sintro, Domingos Neto. “A gente espera que o Sindiônibus venha a oferecer o que a categoria vem esperando desde 2020. A gente espera resolver essa situação tão difícil que estamos passando”, confessou.

LEIA MAIS | Três motoristas detidos e paralisação parcial no primeiro dia de greve

Negociações com MPT

Mediações entre as categorias estão sendo conduzidas pelo MPT. A primeira ocorreu na última sexta-feira, 11, quando o Sindiônibus propôs recomposição salarial no percentual de 2,46%, correspondente ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 2019–2020. Nessa proposta, o residual de 7,59% (INPC 2020–2021) seria reservado a uma deliberação futura. O Ministério então sugeriu percentual de 4% de incremento salarial a partir de 1º de maio de 2021, deixando o residual de 6,05% para discussões futuras.

Na segunda audiência, ocorrida nessa segunda-feira, 14, o sindicato patronal apresentou proposta de recomposição salarial de 2,45% a partir de 1º de maio e acréscimo de 1,54% a partir de dezembro, além de cesta básica de R$ 155 e auxílio-alimentação permanecendo em R$ 15. Em resposta, o sindicato laboral solicitou que a recomposição ocorra na vigência da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) atual e que o mesmo percentual de reajuste da cesta básica seja aplicado ao auxílio-alimentação. A próxima audiência está marcada para quinta-feira, 17, às 9h30min.