PUBLICIDADE
Fortaleza
Noticia

Polícia diz que houve assalto e vítimas se esconderam, mas não houve reféns em farmácia

O assalto começou por volta das 14h30min. Funcionários e cliente se esconderam numa sala da farmácia e baixaram os portões. Bandidos ainda tentaram entrar novamente

15:01 | 30/03/2021
Bope foi acionado para local do assalto à farmácia (Foto: AURÉLIO ALVES/O POVO)
Bope foi acionado para local do assalto à farmácia (Foto: AURÉLIO ALVES/O POVO)

Atualizada às 17h25min

Um assalto a farmácia de manipulação Farmafórmula, na avenida 13 de Maio, no Bairro de Fátima, em Fortaleza, aconteceu nesta terça-feira, 30. Oito pessoas, sete funcionários e um cliente, estavam na farmácia. Após três homens entrarem e levarem os pertences — celulares, relógio e dinheiro —, as vítimas se esconderam numa sala no fim do estabelecimento. Os criminosos — três pessoas foram vistas no local — saíram da farmácia levando celulares e dinheiro. Logo após isso, o farmacêutico e funcionários baixaram a porta do ponto comercial. Os criminosos ainda voltaram, batendo no portão, na tentativa de entrar novamente. Com a falta de respostas, os criminosos fugiram. A informação inicial de profissionais de segurança dizia que eles foram feitos reféns, mas a Polícia Militar negou.

Quando a Polícia Militar chegou ao local, os criminosos já tinham ido embora. O Batalhão de Operações Especiais (Bope) foi acionado.

Segundo uma testemunha, duas viaturas e um carro maior, uma van, estacionaram em frente à farmácia. Da van, ainda de acordo com a fonte, desceram homens protegidos por escudos. 

Clique na imagem para abrir a galeria

Diligências continuam sendo feitas em busca dos suspeitos, contudo, até o momento, ninguém foi preso. Apesar de as buscas continuarem, a PM ressalta que informações acerca da identificação e/ou localização dos suspeitos podem ser repassadas por meio dos telefones 181, ou 190. O sigilo é garantido.

O desenrolar da situação foi visto pelo guardador de carros Fábio Nunes, de 43 anos, que tem um ponto em frente à farmácia. Ele conta ter sido surpreendido com a chegada dos policiais militares, que bloquearam o trânsito na avenida Treze de Maio. A situação se estendeu por cerca de uma hora. Por todo esse período, as pessoas que acompanhavam o caso no entorno achavam que os assaltantes haviam feito os funcionários de reféns. Até a mãe de uma funcionária achou o mesmo e se manteve desesperada aguardando informações em frente à farmácia, conta Fábio. Foi só após o término da situação que eles souberam que os assaltantes já não estavam lá quando a Polícia chegou. "Menos mal", resumiu.