PUBLICIDADE
Fortaleza
Noticia

Edifício São Pedro é alvo de saqueadores na Praia de Iracema

Pioneiro arquitetônico em Fortaleza, Edifício São Pedro está sem segurança

Ítalo Cosme
18:15 | 22/03/2021
Edifício São Pedro, sem segurança, é saqueado (Foto: FABIO LIMA)
Edifício São Pedro, sem segurança, é saqueado (Foto: FABIO LIMA)

Atualizado em 23/03/21 às 16h

Era frenético o entra e sai o edifício São Pedro, na Praia de Iracema, em Fortaleza, na manhã desta segunda-feira, 22. As pessoas entravam de mãos vazias e saíam carregando pilhas de ferro, metal, cobre, fios, canos, telhas, portas e janelas do prédio mal conservado e descarregavam o material em carroças de lixo próximas, estacionadas na calçada ao lado da igreja de mesmo nome da edificação.

Moradores das redondezas avisaram ao O POVO da situação no local. Lá, os próprios saqueadores confirmaram a prática. Um morador afirmou que o vigia não está mais trabalhando no local há uns dias e, desde então, é recorrente o furtos ao prédio.

"Eles ficam devorando tudo. Depois que tiraram o rapaz que trabalhava aí, aumentaram e muito os roubos. Eles quebraram os cadeados, as portas. A Polícia não sobe no prédio porque não adianta nada", comentou outro residente das proximidades, que pediu para não ser identificado.

Edifício São Pedro data de 1950. É tombado desde 2015, mas processo passa por revisão
Edifício São Pedro data de 1950. É tombado desde 2015, mas processo passa por revisão (Foto: FÁBIO LIMA / O POVO)

Na rua paralela ao prédio, O POVO abordou dois agentes da Polícia Militar do Ceará (PMCE) que passavam de bicicleta. A dupla faz a segurança na orla de Fortaleza. Questionados sobre a situação do edifício, os policiais afirmaram desconhecer as práticas. Depois de ver a situação in loco, a dupla estacionou os veículos na lateral do prédio, e tentou retirar os indivíduos de dentro da edificação. Sem sucesso.

Em conversa com cerca de cinco homens, que se aproximaram para saber se a equipe de reportagem era da Prefeitura de Fortaleza, todos confirmaram que já haviam subtraído material do prédio. "Não tem mais o que tirar, já levaram foi tudo", diz um deles enquanto um adolescente mais rápido retruca: "Mas toda noite tu tá lá, né?". Todos caem na gargalha. O revide ao menor também foi ligeiro: "Quer dizer que tu também nunca foi?". "Tá de tiração, é?", respondeu o rapaz já incomodado com a brincadeira.

Prédio São Pedro, na Praia de Iracema, é pioneiro em edificações verticalizadas na orla de Fortaleza
Prédio São Pedro, na Praia de Iracema, é pioneiro em edificações verticalizadas na orla de Fortaleza (Foto: FÁBIO LIMA / O POVO)

De acordo com um deles, parte do material é utilizado nos próprios barracos de pessoas em situação de rua, principalmente, para encanação. Mas, ele confessa também que a maior parte é vendida. Uma quilo do cobre chega a ser comercializado por até R$30. O material é retirado das paredes do edifício, segundo eles.

Um dos expulsos do prédio pela PM passou ao lado do grupo e, em tom de ameaça, falou: "Qual foi? Estamos só trabalhando!". Conforme relatos, na maioria da vezes, o trabalhador saqueia o São Pedro à noite.

 

Clique na imagem para abrir a galeria

O prédio alvo de ataques é de propriedade privada, está em tombamento provisório desde 2015, mas o tombamento passa por revisão. A edificação data da década de 1950. À época, a estrutura foi pioneira no avanço imobiliário verticalizado e no setor hoteleiro na capital cearense.

Um projeto apresentado para o local previa a construção de prédio de mais de 20 andares. Uma parte da atual estrutura seria preservada e outra seria demolida. Veja detalhes aqui.

Em nota, a prefeitura informou que uma equipe da Secretaria Municipal dos Direitos Humanos e do Desenvolvimento Social (SDHDS) será enviada ao local para verificar o estado da região e oferecer o atendimento necessário caso haja a presença de pessoas em situação de rua. Entre as ações do Serviço Especializado de Abordagem de Rua estão o preenchimento de cadastro, a escuta qualificada e o encaminhamento para rede de saúde e serviço de acolhimento institucional.

A Secretaria Municipal de Cultura (Secultfor) ressaltou que é dever do proprietário do imóvel manter o edifício em bom estado de conservação, devendo comunicar o órgão em caso de furto ou dano ao bem.

Já a Polícia Civil informou que investiga um furto ocorrido no edifício, em que os objetos foram subtraídos durante ação criminosa, segundo informações preliminares. O órgão orienta que os moradores do prédio registrem Boletim de Ocorrência para que os casos sejam apurados. É possível realizar a ação no por meio da da Delegacia Eletrônica (Deletron), em qualquer hora do dia ou da noite.

Edifício São Pedro na década de 1950, em seu auge
Edifício São Pedro na década de 1950, em seu auge (Foto: IBGE)

Saiba mais sobre o projeto que era proposto aqui

Há cinco anos, um dos últimos moradores lamentava a sina que se desenhava.