PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Justiça impede demolição de antigo prédio do Boteco Praia

Foi estipulada multa de R$ 10 milhões por dia, em caso de descumprimento. O prédio foi construído em 1930 e é uma das últimas construções antigas que ainda existem na orla de Fortaleza

Leonardo Maia
21:50 | 15/03/2021
A demolição do imóvel estava programada para esta segunda-feira. (Foto: Thais Mesquita)
A demolição do imóvel estava programada para esta segunda-feira. (Foto: Thais Mesquita)

A Justiça cearense determinou o impedimento da demolição da antiga casa da avó paterna do senador Tasso Jereissati (PSDB). Em decisão nesta segunda-feira, 15, o juízo da 3ª Vara da Fazenda Pública deferiu a Tutela Cautelar Antecedente que suspendeu o alvará de construção e a autorização de demolição do imóvel. A intenção dos proprietários do prédio, onde ficava o bar Boteco Praia, era derrubá-lo nesta segunda-feira, conforme informação publicada com exclusividade na coluna Jocélio Leal, neste domingo. O Juízo fixou multa diária de R$ 10 milhões caso a determinação seja descumprida.

A decisão judicial atendeu ao pedido de Aderbal Aguiar Júnior e Adriano Vasconcelos Accioly de Carvalho. Eles ingressaram com pedido na última quarta-feira, 10, para que a demolição não fosse realizada sem que tenham oportunidade de apresentar pedido de tombamento no Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Histórico e Cultural de Fortaleza (Comphic). O imóvel já amanheceu hoje cercado de tapumes para isolar o local onde ficariam os escombros.

Leia Também | Boteco Praia fecha e anuncia mudança de endereço

O corretor de imóveis Adriano Accioly, um dos requerentes do pedido, faz parte do grupo Nossa Praça Urgente, que começou a reivindicar o tombamento do imóvel ainda em julho do ano passado. "É impensável se imaginar o princípio da nossa avenida Beira Mar, sem a icônica casa, que durante quase um século assiste a metamorfose frenética da nossa cidade”, ressalta o documento enviado ao Ministério Público do Ceará (MPCE) que pede o tombamento.

Em agosto de 2020, o MPCE instaurou inquérito para apurar informações sobre pedido de tombamento do imóvel. Em entrevista ao O POVO na época, o promotor de justiça José Francisco de Oliveira Filho, titular da 134ª Promotoria de Justiça de Fortaleza, defendeu que o órgão iria acompanhar todo o processo legal, até que a medida de tombamento seja adotada definitivamente. “É um prédio que faz parte do patrimônio histórico e cultural de nossa cidade de Fortaleza”, enfatizou.

Entenda a relevância histórica do imóvel

Construída nos anos 1930, a edificação abrigou o político que dá nome a pelo menos quatro vias, dois bairros e seis escolas do Ceará. Carlos Jereissati foi figura de destaque de sua época e se encontrou com grandes nomes nacionais e internacionais, como os presidentes Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek, além dos papas João XXIII e Pio XII.

Pai do senador Tasso Jereissati, Carlos foi até mesmo elogiado em uma carta enviada pelo senador Epitácio Pessoa a Getúlio. O motivo seria o político ter prestado contas e devolvido parte do auxílio eleitoral que recebeu para sua campanha.

“Tenho a vaidade de ter trazido o (senador Carlos) Jereissati para o partido. Tenho a convicção de que ele é dos melhores elementos do PTB e, por isso, espero que o senhor dispense a ele o prestígio que faz jus pela dedicação, pelo esforço e pela lealdade que tem procedido”, diz a carta, datada de 1950.