PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Fiscalização de cumprimento de decreto não chega a parte da periferia de Fortaleza

Em bairros como Henrique Jorge, Genibaú, Granja Portugal, Bonsucesso e Conjunto Ceará, o isolamento social rígido segue sendo descumprido. Falta fiscalização do poder público. Bares funcionam à meia-porta

21:45 | 09/03/2021
Fortaleza, Ceará, BR 09.03.21 - Movimentação de pessoas nas ruas do bairro Conjunto Ceará durante o decreto de lockdown em Fortaleza (Fco Fontenele/OPOVO) (Foto: FCO FONTENELE)
Fortaleza, Ceará, BR 09.03.21 - Movimentação de pessoas nas ruas do bairro Conjunto Ceará durante o decreto de lockdown em Fortaleza (Fco Fontenele/OPOVO) (Foto: FCO FONTENELE)

O decreto número 33.965, que instituiu lockdown por duas semanas em Fortaleza, a partir de 5 de março (sexta-feira) até o próximo dia 18, parece não valer em parte da periferia da Capital. O que se vê em bairros como Henrique Jorge, Genibaú, Granja Portugal, Bonsucesso e Conjunto Ceará são pessoas sem máscaras sentadas nas calçadas e praças - muitas delas são idosos, que constituem um dos grupos de risco -, bares funcionando à meia-porta e exibindo, inclusive, transmissões de partidas de futebol.

O POVO percorreu, nas tardes deste domingo, 7, segunda-feira, 8, e terça-feira, 9, algumas ruas desses bairros. Além da desobediência flagrada com a falta de cumprimento do decreto, também foi constatada a ausência de fiscalização. Na avenida Emílio de Menezes, na Granja Portugal, um bar transmitia, no início da noite de domingo, a final da Copa do Brasil entre Palmeiras e Grêmio, com a porta meio aberta. Cerca de 20 pessoas se aglomeravam em frente ao estabelecimento. A maioria sem o uso de máscara.

Confira galeria de fotos dos casos de descumprimento

Clique na imagem para abrir a galeria

No Conjunto Ceará, entre o fim da tarde e o início da noite, as avenidas G e F eram palco de corrida e caminhada de pessoas de todas as idades. Mesmo com maioria de jovens, em busca de atividades físicas, alguns idosos também se arriscavam no exercício. Atividades físicas ao ar livre, em locais públicos, estão proibidas durante o período em que vigora o isolamento social rígido. Muitos dos corredores não usavam máscara ou tinham o material de proteção mantido abaixo do queixo.

No Genibaú, na rua Luís Mariano, cinco mulheres conversavam sentadas em cadeiras na calçada, enquanto observavam os filhos, entre 8 e 10 anos,  que andavam de bicicleta ou brincavam correndo pela via.

Apesar do flagrante, Agefis diz ter "intensificado operações"

Em nota, a Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) afirma ter intensificado as operações por toda a Cidade para garantir o cumprimento dos decretos municipal e estadual que determinam isolamento social rígido em Fortaleza, até o dia 18 próximo.

As ações são realizadas, ainda de acordo com a Agefis, por meio de denúncias e busca ativa nos estabelecimentos comerciais e logradouros públicos, visando o cumprimento das medidas sanitárias de prevenção à Covid-19.

O informe aponta que as fiscalizações contam também com a participação da Inspetoria de Proteção Ambiental (Ipam), da Guarda Municipal de Fortaleza (GMFor), da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) e do Batalhão de Polícia de Meio Ambiente (BPMA).

Segundo a Agefis, a Prefeitura de Fortaleza e o Governo do Estado do Ceará também realizam campanhas educativas para conscientizar a população sobre o cumprimento das medidas sanitárias de prevenção à Covid-19.

PM lista grande efetivo usado, mas recorre a "colaboração da população"

A Polícia Militar do Ceará (PMCE) informa, também por meio de nota, que os bairros Henrique Jorge e Genibaú dispõem de policiamento 24 horas por dia, efetuados pelo 18º e 17º Batalhões, respectivamente. O patrulhamento na área é efetuado por viaturas da Força Tática (FT) e Policiamento Ostensivo Geral (POG).

As áreas dos bairros contam ainda com o reforço do Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRAIO) e Comando de Policiamento de Choque (CPChoque), que intensificam a segurança nos locais e horários de maior necessidade.

Quanto ao cumprimento do lockdown, estabelecido no mais recente Decreto Estadual, a PM conta não ter havido nenhum prejuízo no efetivo de serviço que faz o policiamento preventivo e repressivo nas áreas que representam os referidos Batalhões. Ainda, o efetivo da PMCE está empregado também na fiscalização do cumprimento do Decreto em espaços públicos, Operação Blitz Barreira montada nas entradas e saídas de Fortaleza, e também em alguns pontos da cidade.

A corporação ressalta que está trabalhando em conjunto com a Prefeitura Municipal de Fortaleza, Agefis e órgãos da Vigilância Sanitária a fim de que, juntos, haja a fiscalização com a orientação e conscientização dos cidadãos acerca das medidas de prevenção ao coronavírus.

Para tanto, é imprescindível a colaboração da população no que diz respeito a sempre utilizar a máscara de proteção individual, evitar deslocamentos desnecessários e, sobretudo, a aglomerações de pessoas. Caso seja necessário o deslocamento, deve-se apresentar a documentação e comprovante que venha a justificar tal fato em uma barreira sanitária.

A PMCE lembra que denúncias acerca do descumprimento do decreto e de aglomeração de pessoas podem ser feitas de forma sigilosa e anônima por meio do telefone 190.