PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Apontado como chefe do Comando Vermelho na RMF é solto em audiência de custódia

André deve usar tornozeleira eletrônica durante três meses e não pode frequentar pontos de vendas de drogas, de acordo com a decisão judicial. Ele foi preso por tráfico de drogas, lei das organizações criminosas e porte ilegal de arma

Jéssika Sisnando
18:19 | 08/01/2021
SUSPEITO foi preso e com ele foram apreendidas drogas, armas e cadernos com anotação do tráfico 
 (Foto: divulgação/Polícia Civil )
SUSPEITO foi preso e com ele foram apreendidas drogas, armas e cadernos com anotação do tráfico (Foto: divulgação/Polícia Civil )

Apontado como chefe do Comando Vermelho (CV) na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), André Lucas Moreira de Freitas, 21, foi preso na quinta-feira, 7, durante uma operação da Polícia Civil. Ele estava em uma residência no bairro Pedras, em Fortaleza. André Lucas foi autuado por tráfico de drogas, na lei das Organizações Criminosas e porte ilegal de arma de fogo. No entanto, nesta sexta-feira, 8, o suspeito foi liberado em audiência de custódia.

De acordo com o documento da decisão da 17ª Vara Criminal - Vara de Audiências de Custódia, André foi detido por uma equipe da Polícia Civil que investigava uma denúncia de que o suspeito era chefe do CV no bairro Pedras. De acordo com a investigação, ele teria participado de um confronto armado com a facção Guardiões do Estado (GDE).

Segundo o Boletim da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o suspeito foi preso com revólver calibre 38, um simulacro de pistola e 27 munições. Além de embalagens com drogas.
André foi encaminhado ao 30º DP, onde foi realizado o flagrante.

LEIA MAIS: 

Substituto na chefia de núcleo do CV da Caucaia está foragido após obter habeas corpus

Funkeiro do RJ é preso suspeito de envolvimento com organização criminosa do Ceará

O documento da decisão judicial também menciona dois cadernos com anotações sobre venda de drogas entre o material apreendido. Na delegacia, André informou que pertencia ao CV. O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) pediu pela conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva. Já a defesa postulou a concessão da liberdade com ou sem a imposição de medidas cautelares.

O juiz verificou que o autuado não possui antecedentes criminais e tem residência fixa, além do fato de ter sido apreendido com uma quantidade pequena de drogas e que atua como montador de esquadrias de alumínio e vidro. Também foi considerada a crise sanitária causada pela Covid-19.

Ele foi liberado e foram impostas medidas cautelares como o uso da tornozeleira eletrônica durante três meses, recolhimento domiciliar das 22h às 6 horas salvo para exercer atividade laboral lícita e comprovada mediante a Justiça. Além disso, André deve comparecer mensalmente na sede da Central de Alternativas Penais e está proibido de frequentar locais conhecidos como ponto de venda de drogas