PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Qualidade da água do mar volta a ser analisada em Fortaleza; três praias estão impróprias para banho

Movimentação nas praias da Capital aumentou e, segundo a Semace, voltou a uma frequência "próxima à de antes da pandemia"

Matheus Facundo
22:11 | 11/09/2020
Banhistas devem evitar os trechos considerados como impróprios devido a presença de substâncias que oferecem risco à saúde (Foto: AURÉLIO ALVES/O POVO)
Banhistas devem evitar os trechos considerados como impróprios devido a presença de substâncias que oferecem risco à saúde (Foto: AURÉLIO ALVES/O POVO)

O retorno do boletim semanal de balneabilidade da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), divulgado nesta sexta-feira, 11, aponta que três trechos de praia de Fortaleza estão impróprios para banho. Análise é retomada, conforme o órgão, devido ao aumento da movimentação de banhistas no litoral, que voltou a uma frequência "próxima à de antes da pandemia".

Os trechos considerados impróprios são entre o Espigão da Desembargador Moreira até a Volta da Jurema; no espigão entre a avenida Dr. Theberge e a rua Boa Esperança, na zona oeste e entre a rua Seis Companheiros até a rua Francisco Calaça. 31 trechos foram analisados no total. Confira boletim completo.

O boletim considerado "de transição", observou que as praias "condenadas" apresentaram índice de 2.500 coliformes termotolerantes superior por 100 ml de amostra de água examinada. Avaliação leva em conta a presença de resíduos e despejos sólidos ou líquidos, inclusive esgotos sanitários, além de óleo, graxas e outras substâncias nocivas.

Praia do Futuro

Segundo Guilherme Gurgel, gerente de Análise de Monitoramento da Semace, os trechos da orla da zona leste, que compreende toda a Praia do Futuro, apresentaram condições favoráveis para o banho. O fato, porém, não classifica as praias "próprias" para o banho, pelo fato da nova análise do órgão agora ter de cumprir uma série de cinco exames para determinar a balneabilidade.

Até que a fase de transição seja completada, com cinco semanas contadas a partir do boletim desta sexta-feira, a Semace seguirá divulgando apenas as praias consideradas impróprias pelo critério de proporção de coliformes termotolerantes. Após o período, a autarquia retornará a divulgar a balneabilidade de praias fora da Capital.

A Semace informa que o retorno das coletas é feito por técnicos com os devidos Equipamentos de Proteção Individul (EPIs) contra a Covid-19 e com carros e utensílios sendo desinfectados. As análises estavam suspensas desde o primeiro decreto de isolamento social devido à pandemia, em março.