PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Praça Clóvis Beviláqua está sendo reformada pela Cagece; serão 90 dias de obra

Após a conclusão das obras, a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) irá assumir a responsabilidade de manutenção do espaço

Alan Magno
07:13 | 04/09/2020
Dentre as intervenções realizadas estão a recuperação de pisos e áreas com grama, implantação de rampa de acesso e pintura e reforma dos bancos (Foto: Ascom Cagece)
Dentre as intervenções realizadas estão a recuperação de pisos e áreas com grama, implantação de rampa de acesso e pintura e reforma dos bancos (Foto: Ascom Cagece)

Conhecida como Praça da Bandeira, a Praça Clóvis Beviláqua está passando por um processo de revitalização. As obras são conduzidas pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece). O prazo para conclusão da reurbanização do equipamento, que fica localizada em frente à Faculdade de Direito da Universidade Federal do Ceará (UFC) no Centro da Capital, é de até 90 dias.

A Cagece “apadrinhou” o local e deverá ficar responsável pelos cuidados e manutenção do espaço após o término das obras. A intervenção teve início na terça-feira, 1º, segundo informações divulgadas pelo Governo Estadual.

Dentre as intervenções estão a recuperação de pisos e áreas com grama, implantação de rampa de acesso e pintura e reforma dos bancos. Além da construção de um caramanchão, com intuito de incentivar a convivência e uso efetivo do espaço.

O objetivo, segundo divulgou o governo estadual, é de que “a partir de agora, a Praça receba intervenções diversas com o intuito de tornar o lugar mais caloroso e atrativo para a população”. O reservatória de água que existe no subterrâneo da praça, bem como as duas caixas d’água presentes nos domínios da Faculdade de Direito, deverão passar por processo de revitalização semelhante.

As caixas d'água foram construídas ainda no início do século XX, assim, a Cagece se compromete a preservar as características e memória histórica das estruturas, bem como da Praça em si, durante a reforma. Além disso, aspectos como acessibilidade e questões relacionadas ao incentivo da arte foram idealizados para a revitalização do espaço.

De acordo com a Cagece, será incluída nas estruturas físicas da praça “uma pintura muralista, que vai trazer uma proposta contemporânea de arte pública que situa a arte no lugar da sua produção”, conforme anunciou a arquiteta Beatriz Chaves, da Cagece. Ela supervisionou o projeto de reforma do espaço, que foi construído pela arquiteta Ana Figueiredo.