PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Hospital da Criança é inaugurado e começa a receber pacientes nesta segunda-feira

Com 104 leitos, unidade deve ser referência para tratamento de diversas doenças em crianças na Capital

Júlia Duarte
12:30 | 17/08/2020
Hospital da Criança terá como foco cirurgias agendadas, mas também há pronto-atendimento para pacientes da região (Foto: Fábio Lima)
Hospital da Criança terá como foco cirurgias agendadas, mas também há pronto-atendimento para pacientes da região (Foto: Fábio Lima)

Corrigida às 12h54min

A partir da tarde desta segunda-feira, 17, o novo Hospital da Criança começa a receber pacientes em seus leitos. O hospital, que contará com 104 leitos divididos entre internação e observação, será parte do complexo que reúne Hospital da Mulher e a Policlínica Dr Lusmar Veras, no bairro Jóquei Clube.

Os pequenos pacientes serão transferidos do antigo Hospital Infantil de Fortaleza Dra. Lúcia de Fátima (Antigo CROA - CAC ou Hospital "Tia Júlia"), no bairro Parangaba. A estrutura antiga será desativada. O foco do novo hospital é reunir casos que precisem de mais aparatos tecnológicos ou cirurgias de média complexabilidade, como hérnias, apendicites, amidalites e outras cirurgias programadas. Anteriormente, os pacientes infantis eram tratados em outros hospitais especializados em um perfil de assistência diferente, como o Instituto José Frota e Hospital Albert Sabin.

"A gente precisava ampliar o número de leitos e adequar o perfil assistencial para a real necessidade da população pediátrica, que vem mudando radicalmente nas ultimas três décadas. Nós internávamos muitas crianças por diarreia, desidratação, pneumonia ou meningite, mas felizmente nos não temos mais essa doenças do jeito que tínhamos[... ]nosso hospital ainda tinha esse perfil pouco necessário à população", explica a titular da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Joana Maciel.

Ela explica que esse perfil clínico é geralmente tratado nos postos de saúde e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). A entrada de pacientes continuará sendo em outros hospitais e, pelo sistema de regulação, serão transferidas para a nova unidade, explica a secretária. Apenas moradores da região são indicados a utilizarem o hospital como pronto atendimento. "A criança está com febre, com falta de ar com asma, qualquer situação, ela pode vir para cá. O que gente não quer é que crianças, por exemplo, que moram na Praia do Futuro, venham ser atendidas aqui. Não precisa, porque lá tem uma UPA. Agora, se uma criança da Praia do Futuro tiver uma apendicite lá no Albert Sabin, ela vem ser operada aqui", explica Maciel.

Unidade terá 104 leitos para internação e observação
Unidade terá 104 leitos para internação e observação (Foto: Fábio Lima)

A pasta da saúde espera também diminuir possíveis filas de leitos e cirurgias, desafogando a rede pediátrica do Estado. São esperados, aproximadamente, cerca de 6.600 atendimentos mensais e a realização de 400 procedimentos cirúrgicos/mês nas áreas de otorrinolaringologia, traumatologia e cirurgia geral pediátrica. 

Ao todo, o Hospital da Criança possui 4.298 m² de área para atendimento de urgência e emergência e sala de estabilização. Além dos leitos, há um pronto atendimento 24h e salas de observação com consultórios, que funcionam todos os dias. A unidade é equipada com sala de cinema, salão de beleza, brinquedoteca e playground.

O coordenador das Redes Pré Hospitalar e Hospitalar, Romel Araújo, analisa que a unidade será capaz de manter atendimentos já feitos no antigo Hospital Infantil e também ampliar. "Nós continuaremos com o pronto atendimento pediátrico de média e baixa complexidade. Acrescentamos aqui a linha de cuidado da traumatologia, que são aquelas crianças com fraturas fechadas que são atendidas no IJF e nos frotinhas e viram ser operadas aqui", explica ele.  

Com informações de Ítalo Cosme