PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

ONG faz campanha virtual para arrecadar alimentos; 40 famílias do Serviluz devem ser beneficiadas

Durante dois meses, 40 famílias do bairro Serviluz, em Fortaleza, receberão um vale compra em um mercadinho local para ajudar durante pandemia

Ismia Kariny
10:25 | 16/06/2020
ONG faz campanha virtual para arrecadar alimentos; 40 famílias do Serviluz devem ser beneficiadas  (Foto:  Davi Pinheiro)
ONG faz campanha virtual para arrecadar alimentos; 40 famílias do Serviluz devem ser beneficiadas (Foto: Davi Pinheiro)

O Instituto Trêsmares está fazendo uma campanha virtual para arrecadar alimentos que devem ajudar 40 famílias do bairro Serviluz, em Fortaleza. Segundo informações do projeto, campanha quer "prover a segurança alimentar e sanitária" das famílias durante 2 meses. A arrecadação está sendo feita em uma plataforma de 'vaquinhas online'. Primeira meta é arrecadar R$ 30 mil.

Você pode ajudar clicando aqui.

Iara Andrade de Oliveira que é psicóloga e uma das diretoras do Trêsmares, conta que a ONG trabalha com intervenções grupais voltadas para crianças, adolescentes e mulheres do bairro Serviluz. Temáticas de Direitos Humanos são os principais focos do projeto. "Com as crianças a gente trabalha de forma mais lúdica, com os adolescentes buscamos intervir através de suas realidades e com as mulheres temos rodas de conversa, atividades de artesanato", explica Iara.

Antes do período de pandemia, as atividades eram voltadas para esses eixos, relata a diretora. No entanto, com o contexto de enfrentamento ao coronavírus, ONG precisou se reinventar. Hoje, o contato é feito através do WhatsApp, por exemplo. Algumas atividades, principalmente com as crianças, ainda são realizadas. "A gente também começou a fazer entrega de cestas básicas e kits de higiene através de uma parceria com Associação de Moradores do Titanzinho, Comissão Titan, Quilo do Amo", reforça Iara. Todos são projetos do bairro.

O grupo também se mobilizou para reforçar importância de isolamento social no bairro. Faixas foram espalhadas pela região carregando mensagens de higienização e outros cuidados durante pandemia. Recentemente, projeto foi contemplado com um edital da Fiocruz, que vai implementar pias coletivas no bairro para ajudar no combate.

Sobre a campanha de alimentos, Iara conta que a ideia surgiu após grupo entender que mesmo com o auxílio emergencial do Governo, muitas famílias ainda precisavam de ajuda. "A campanha surge tendo em vista a estimulação do comércio local, autonomia das pessoas, porque elas podem escolher o que querem comprar. Elas também podem fazer o pedido de compras pelo WhatsApp", explica a organizadora.

Iara Andrade também explica que a campanha teve impulso após doação de R$ 1.500 do Consulado da Suíca, aqui em Fortaleza. "Esse dinheiro tinha que ser repassado de forma mais direta. Então criamos essa proposta de que 15 famílias seriam contempladas com R$ 100 em compras em mercadinhos locais". Assim nasce a arrecadação online "Ei, Budega".

Para a diretora, a importância da campanha é ainda maior quando as pessoas passam a ter autonomia na hora de escolher o que precisam comprar, além de impulsionar comércio no bairro, fazendo com o que o dinheiro circule, fortalecendo a comunidade.

Veja como funciona a campanha

As famílias receberão um vale compra de R$ 200 para realizarem compras em um mercadinho local. As compras serão solicitadas via WhatsApp e entregues em domicílio;

Quatro agentes sociais locais farão o cadastro das famílias, que seguirão alguns critérios: possuir mais de duas crianças na residência; depender de auxílios governamentais e que sejam preferencialmente chefiadas por mulheres;

Os agentes sociais locais farão o acompanhamento das famílias, sendo cada um responsável pelo acompanhamento de 10 famílias. No caso das famílias que não possuam celular ou acesso ao Whatsapp, o agente irá de 15 em 15 dias verificar as necessidades de compra do domicílio da família;

As entregas das compras serão feitas em domicílio por comerciantes cadastrados, para evitar a aglomeração em comércios locais e possibilitar a geração de renda em pequenos negócios do bairro;

Tanto os agentes sociais quanto os comerciantes receberão os EPIs e as instruções necessária para que mantenham a biossegurança em suas atividades;

Ao entrarem em contato com as famílias os mesmo, também, irão entregar materiais de instruções para que as famílias manuseiem e higienizem os alimentos de forma adequada.

Instituto Trêsmares

O Instituto Trêsmares atua desde 2015 no Serviluz. Em 2015, o Projeto de Vida Titanzinho foi iniciado com atividades voltadas para adolescentes do bairro Serviluz. O que era inicialmente uma atuação pontual se ampliou tornando-se uma ONG em 2019, o Instituto Trêsmares, que atua de com formação grupal de crianças, adolescentes e mulheres em diferentes localidades do bairro.

Atualmente, o Instituto possui uma forte parceria com a Associação de Moradores do Titanzinho, com Coletivo de Audiovisual ServerLuz e com o coletivo de arte Servilost além de fazer parte do conselho gestor da Zona Especial de Interesse Social do bairro, possuindo três grandes frentes de atuação o Projeto de Vida Titanzinho, Conselho Gestor da ZEIS SERVILUZ e Coletivo MarMulher. As informações são do site do grupo.

Serviço

Onde doar: no link do Benfeitoria

Instagram do Instituto Trêsmares