PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Fortaleza cai 13 posições em um ano em ranking de saúde, educação, segurança e saneamento

Caucaia perdeu 15 colocações em relação ao ano anterior e 27 em relação à década. Estudo da Macroplan sai em ano eleitoral

Rubens Rodrigues
12:44 | 13/03/2020
Falta de saneamento básico está entre os itens pesquisados
Falta de saneamento básico está entre os itens pesquisados (Foto: Rodrigo Carvalho)

O estudo Desafios da Gestão Municipal (DGM), da Macroplan, aponta que, em um ano, Fortaleza caiu 13 posições em ranking que revela quais cidades entregam melhores e piores condições em saúde, educação, segurança e saneamento. A capital cearense está na 73ª posição entre os 100 maiores municípios do País.

Na comparação com a década, Fortaleza perdeu 18 posições (entre 2007/2008 e 2017/2018), apenas cinco a mais que o reparado no último ano. O estudo mostra que das quatro áreas analisadas, a melhor colocação da Capital é em Educação, ficando na 51ª posição (+ 12 posições). Fortaleza fica da seguinte forma nas outras áreas: 61ª em Saúde (+ 2 posições); 75ª em Saneamento e Sustentabilidade (- 30 posições); e 95ª em Segurança (- 37 posições).

Caucaia

Caucaia, a segunda maior cidade do Ceará, está na 82ª posição. Dessa forma, o município da Região Metropolitana está entre os piores. O município perdeu 15 colocações em relação ao ano anterior e 27 em relação à década.

Na última quarta-feira, 11, O POVO noticiou que Caucaia é a cidade com o 10º pior índice de coleta de esgoto no Brasil. Conforme o Ranking do Saneamento 2020, estudo divulgado pelo Instituto Trata Brasil baseado no Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS – base 2018), apenas 28,34% da população tem coleta de esgoto em Caucaia.

Para a economista sênior da Macroplan, Adriana Fontes, que é uma das coordenadoras do estudo, as cidades precisam pensar em novas ferramentas para driblar a falta de recursos e a pressão da sociedade por melhorias.

"Enquanto alguns municípios focam na agenda de curto prazo, outros conseguem superar as adversidades do atual cenário com planejamento, foco e cooperação", pondera. "Gerir com base em evidências, buscar as boas práticas de outras cidades e dar continuidade a políticas públicas exitosas é fundamental para evitar desperdícios de recursos".

São Paulo domina o ranking com oito cidades entre as 10 melhores. Piracicaba e São José do Rio Preto estão nas 1ª e 2ª posições. Paraná tem duas cidades na lista: Maringá na 3ª posição e Curitiba na 8ª.