PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

82 novos guardas municipais atuarão nas oito Células de Proteção Comunitária

Prefeito Roberto Cláudio destacou que a Guarda tem começado a ter desempenho efetivo na proteção cidadã; os novos profissionais devem atuar nas Células de Proteção Comunitária presentes em oito bairros de Fortaleza

Ismia Kariny
13:26 | 11/03/2020
Os 82 novos servidores Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) empossados em cerimônia realizada nesta quarta-feira, 11, foram concursados em 2015 e atuarão nas Células de Proteção Comunitária do Programa Municipal de Proteção Urbana (PMPU) em oito bairros de Fortaleza
Os 82 novos servidores Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) empossados em cerimônia realizada nesta quarta-feira, 11, foram concursados em 2015 e atuarão nas Células de Proteção Comunitária do Programa Municipal de Proteção Urbana (PMPU) em oito bairros de Fortaleza (Foto: Sandro Valentim)

Os 82 novos servidores da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) empossados em cerimônia realizada nesta quarta-feira, 11, foram concursados em 2015 e atuarão nas Células de Proteção Comunitária do Programa Municipal de Proteção Urbana (PMPU) em oito bairros da Capital. Na sede da Secretaria Municipal da Segurança Cidadã (Sesec), os novos guardas municipais receberam simbolicamente de seus padrinhos ou madrinhas a boina, considerada o distintivo oficial do órgão.

Na ocasião, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) ressaltou a mudança no modo de atuação da guarda, que passa a ter foco também na proteção do cidadão. Com a posse, Prefeitura cumpre a promessa de convocar todos os concursados da gestão. Antes de irem às ruas, os servidores passarão por um curso preparatório com duração de 320 horas.

Acompanhada da família, a nova integrante da Guarda Municipal, Maria Wilsilene, 33, relata a conquista como uma realização pessoal. “Depois de muita luta, estamos colhendo os frutos”, comemora.

 

Clique na imagem para abrir a galeria

Wilsilene acrescenta que, após todos os exames, testes de aptidão física e anos de formação, a parte mais difícil foi lidar com a insegurança, realçada pela crise de desemprego. “Com o término do curso, houve a incerteza de entrarmos ou não na instituição; mas ter a oportunidade de ingressar no funcionalismo público é muito bom e prazeroso”, afirma.

De acordo com Roberto Cláudio, assumem o posto 100% dos homens e mulheres concursados e treinados pela Prefeitura de Fortaleza. Ele destaca que, desde 2015, foram chamados 1.362 novos guardas, que contribuem para o aumento da força de trabalho nas ruas de Fortaleza. Segundo o prefeito, com o objetivo de reforçar a segurança desses servidores e da população, o vice-prefeito Moroni lançou o Programa Municipal de Proteção Urbana (PMPU). A partir desse programa, os profissionais da segurança municipal passaram a ter capacitação junto à Polícia Federal, com treinamento para porte de armas.

Além disso, Roberto Cláudio revelou que os novos servidores serão incorporados em meio à mudança de caráter da Guarda Municipal, que deixa de ser apenas um órgão de segurança patrimonial, para adotar a função de resguardo do cidadão. “O próprio papel da Guarda tem sido sentido nas ruas de Fortaleza. Durante o motim de setores militares, a Guarda foi para a rua, fez apreensão de armas, e também conseguiu resgatar carros que foram furtados aqui na Cidade”, detalha Roberto Cláudio. Segundo ele, a GMF também agiu em combate ao tráfico de droga, entre outras ações complementares às forças de segurança do Estado.

O diretor geral da GMF, inspetor Rômulo Reis, se dirigiu aos novos membros da instituição justamente enfatizando essa implementação no modo de operação da Guarda. “A Guarda Municipal hoje é uma outra instituição, diferente do que os senhores conheceram em 2015. Nossa principal missão hoje é proteger e salvar vidas, além de proteger o patrimônio público e privado. Nosso objetivo agora é servir a população salvando vidas”, afirmou durante a solenidade.

Proteção Comunitária


Na solenidade de posse dos novos guardas, o vice-prefeito Moroni Torgan anunciou que a Prefeitura pretende dobrar o número de Células de Proteção Comunitária na Cidade, sem especificar quais os próximos locais a serem possivelmente contemplados. Atualmente, os bairros de Fortaleza que já dispõem dos equipamentos são: Messejana, Jangurussu, Goiabeiras, Vila Velha, Barra do Ceará, Caça e Pesca, Canindezinho e Bonsucesso.

Cada célula conta com uma média de 40 guardas municipais e 20 policiais militares que realizam o patrulhamento a pé, em bicicletas e motos. O objetivo das torres é estimular a prática de ações intersetoriais preventivas no âmbito da segurança. A iniciativa é prevista no Programa Municipal de Proteção Urbana (PMPU).

Com informações de Lais Oliveira