PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Ceará registra 34 casos de feminicídio em 2019; mais de duas mulheres mortas a cada mês

Em 2019, 12 casos não foram elucidados. A SSPDS mostra que o índice de elucidação dos casos está em 64% e segue acima do nível nacional, que é 8%

Jéssika Sisnando
15:32 | 13/02/2020

De acordo com as estatísticas da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o Ceará registrou 34 casos de feminicídio em 2019. Em números detalhados, são 2,83 mulheres mortas a cada mês. O feminicídio é um homicídio qualificado e ocorre em razões da condição do sexo feminino. A Lei que o tipifica entrou em vigor no dia 10 de março de 2015.

De acordo com a SSPDS, dos 34 casos, 22 foram elucidados pelas forças de segurança e 12 ainda seguem sem respostas. Sobre as elucidações dos crimes registrados em 2018, que somam 30 casos, não há informações estatísticas sobre os desfechos das investigações. 

Conforme o órgão, o índice de resolutividade dos inquéritos policiais de 2019 é de 64%. Já nos homicídios em geral (Crimes Violentos Letais Intencionais) é de 39,7%. O número ficou maior que a média nacional, que é de 8%.

Ainda conforme a pasta, o Ceará possui 10 delegacias da mulher distribuídas pelos municípios de Fortaleza, Pacatuba, Caucaia, Maracanaú, Crato, Iguatu, Juazeiro do norte, Icó, Sobral e Quixadá.

A Delegacia da Mulher de Fortaleza faz parte do complexo da Casa da Mulher Brasileira, onde são disponibilizados os serviços especializados da Rede de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, além do Juizado Especializado da Mulher, Ministério Público, Defensoria Pública e Centro de Referência da Mulher.

Está em fase de projeto a implantação da Casa da Mulher Cearense nas principais regiões do Estado, nos municípios de Juazeiro do Norte, no Cariri; Sobral, na Região Norte; e Quixadá, no Sertão Central.

A SSPDS destaca ainda que realiza, periodicamente, a capacitação dos profissionais de segurança em geral, incluindo policiais civis que atuam em outra delegacias (distritais, municipais e regionais) para atuarem no atendimento de ocorrências de violência doméstica.