PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Muro do Estádio Murilão é demolido e espaço deve se tornar uma Areninha; população reclama

Apesar da demolição do muro só ter acontecido agora, esse é um projeto antigo da prefeitura de Fortaleza

09:25 | 15/01/2020
Muro que cercava o estádio Murilão, na Messejana, é demolido por funcionários da prefeitura
Muro que cercava o estádio Murilão, na Messejana, é demolido por funcionários da prefeitura (Foto: leitor via whatsapp)

Moradores, historiadores e representantes de times de subúrbio da Messejana denunciaram uma intervenção da prefeitura de Fortaleza realizada na última segunda-feira, 13, de derrubada do muro que cerca o estádio Murilão. De acordo com a população, a iniciativa é “autoritária” e destrói um patrimônio da comunidade. Segundo a prefeitura, a revitalização do espaço faz parte de um conjunto de obras realizadas em toda a Capital que envolve outros espaços esportivos.

Nessa reforma, segundo a Prefeitura, o objetivo é transformar o estádio Murilão em uma Areninha. “A ideia não é que tenha apenas uma Areninha, não é simplesmente demolir os muros do estádio e implantar uma grama sintética. A ideia é que ali vire um complexo esportivo, que a gente tire os muros de um estádio onde antes era restrita a utilização somente para aqueles que iam jogar futebol. Ele vai continuar servindo para a prática do futebol, mas de uma forma muito mais democrática”, ressalta a secretária da infraestrutura de Fortaleza, Manuela Nogueira.

Apesar da demolição do muro só ter acontecido agora, esse é um projeto antigo da Prefeitura. De acordo com a secretária da infraestrutura de Fortaleza, Manuela Nogueira, a obra foi solicitada em julho do ano passado e todas essas demandas foram acertadas com a comunidade. “Desde essa época a população da região já tinha conhecimento desse projeto. Então não é uma coisa de ontem para hoje, que começou a obra e foi dito que os muros iam ser demolidos”, completa a secretária.

Deputado estadual e autor de audiência pública realizada em dezembro de 2019 sobre essa questão, Renato Roseno (Psol) acredita que houve uma precipitação na derrubada do muro. “A Prefeitura Municipal de Fortaleza (PMF) não dialogou com a população de Messejana nem com os desportistas. A revitalização e preservação do estádio eram totalmente viáveis. Havia possibilidade inclusive de tombamento em razão da história do equipamento e do time [Messejana Esporte Clube]”, afirma Roseno.

Co-autor da audiência e vereador de Fortaleza, Guilherme Sampaio (PT) também foi solicitado pela população para protestar contra a iniciativa. Segundo o vereador, após o encontro realizado no último dia 3 de dezembro, alguns encaminhamentos foram realizados, mas nenhum obteve resposta. “O primeiro deles foi uma notificação ao Ministério Público, a Promotoria de Defesa do Patrimônio, para que tomem ciência das providências cabíveis. [Desse] não recebemos retorno ainda. O segundo foi o pedido de uma reunião com a prefeitura, que foi solicitada e marcada para a última sexta-feira, mas foi desmarcada”, explica Guilherme.

Ainda de acordo com o vereador, na última semana as pessoas foram surpreendidas com a fixação de placas que os impede de agendar jogos no estádio.

Morador do bairro desde que nasceu, Bené Lacerda, 55, é representante do Messejana Esporte Clube, time com 82 anos de história e que vivenciou todas as transformações do estádio. Para Bené, apesar de entender a função social que as Areninhas exercem, a iniciativa é um retrocesso. “Já pensou se pegassem o PV (Estádio Presidente Vargas) e transformassem em uma Areninha? Nós temos muitos outros espaços em Messejana que comportam uma Areninha. A Vila Olímpica de Messejana está abandonada e é próxima de comunidades carentes como a Comunidade do Carrapicho, a Comunidade do São Miguel. Aqui ninguém é contra a Areninha, a gente apenas sabe que elas tem que ficar em áreas onde elas possam cumprir sua função social”, explica.

Ainda de acordo com a prefeitura, além da prática do futebol, a população também vai contar com academia, parquinho, campo de areia e outros serviços. “O equipamento que vai ser entregue, quando a Areninha estiver pronta, vai ser um equipamento que vai atender muito mais gente, vai ter muito mais integração do que anteriormente", completa a secretária. As obras no estádio Murilão estão previstas para serem concluídas até o fim do ano.