PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Carteiras estudantis de Fortaleza de 2018 vencem no próximo domingo

Confira perguntas e respostas sobre os documentos antigo e novo

13:30 | 26/06/2019
As carteiras de estudantes são usadas para pagamento de meia passagem no transporte coletivo
As carteiras de estudantes são usadas para pagamento de meia passagem no transporte coletivo(Foto: Mateus Dantas/O POVO)

As carteiras estudantis de Fortaleza de 2019 passam a valer a partir da próxima segunda-feira, 1º. Portanto, estudantes podem usar suas carteiras de 2018 até domingo, 30. De acordo com a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), neste ano, 316.875 carteiras foram solicitadas e já entregues às entidades, sendo 203.806 da rede pública de ensino e 113.069 da rede particular.

O POVO Online organizou perguntas e respostas sobre o documento:

Já estou com minha carteira 2019; o que preciso fazer?

Não se preocupe. Lembre de começar a próxima semana já com o documento novo. As novas carteiras são desbloqueadas automaticamente na catraca dos ônibus e dos terminais, bastando utilizá-las a partir do dia 1º de julho (segunda-feira).

Não recebi ainda a nova carteirinha. E agora?

A Etufor repassa todas as carteiras para as entidades estudantis, que são as responsáveis pela distribuição e entrega nas instituições de ensino. Os estudantes podem consultar o status da solicitação de carteiras no site da Prefeitura. Então, é necessário procurar a entidade estudantil para a qual o documento foi repassado.

Os créditos que estiverem na carteirinha de 2018 são transferidos automaticamente para a de 2019?

Não. Todos estudantes que possuem créditos no documento 2018 deverão transferi-los para o novo documento a partir de 1º de julho. Para isso basta se dirigir a um dos postos do Bilhete Único, à sede da Etufor, aos Vapt-Vupt Messejana ou Antônio Bezerra ou aos shoppings Riomar Kennedy e Aldeota.

É necessário levar as duas carteiras e um documento de identidade. Caso tenha perdido a carteira de 2018, o estudante deve apresentar o boletim de ocorrência.

Marcela Tosi/Especial para O POVO