PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Acompanhante denuncia situação de abandono no Frotinha de Messejana

71 leitos é a capacidade do hospital municipal localizado em Messejana. Prefeitura promete entrega de reforma no local até 2020

12:38 | 26/06/2019
Pacientes aguardam em bancos no Frotinha da Messejana
Pacientes aguardam em bancos no Frotinha da Messejana(Foto: reprodução/ whatsapp)

Problemas no sistema de saúde pública do Ceará são recorrentes. É corriqueiro o relato de contratempos desde o atendimento até a falta de insumos básicos, como o caso de falta macas e leitos para pacientes. Este é o caso do vídeo em que atendidos pelo Frotinha da Messejana aparecem deitados nos bancos dos corredores do Hospital, onde aguardam por uma vaga no Instituto Dr. José Frota (IJF).

Veja vídeo: 

Uma mulher, que prefere não se identificar, relata que o tio, um dos pacientes à espera por uma vaga no IJF, está internado desde domingo, quando sofreu acidente e fraturou três partes do corpo. O homem é excedente dos 71 leitos disponíveis na emergência da unidade hospitalar. Segundo a acompanhante, outros usuários do sistema aguardam há quase duas semanas por transferência do Frotinha da Messejana. “Tem gente gente de todas as idades, desde crianças à pessoas com mais idade”.

corredores lotados superam a capacidade de 71 leitos disponíveis no Frotinha da Messejana
corredores lotados superam a capacidade de 71 leitos disponíveis no Frotinha da Messejana (Foto: reprodução/ whastapp)

“A sensação é de abandono”, compartilha a usuária do sistema. A percepção se fortalece com a impressão de poucos enfermeiros para realizar o atendimento e a falta de ventilação no local. "É uma realidade comum em todos os hospitais onde tem emergência. Não é só o Frotinha da Messejana", classifica a situação Romel Araujo, coordenador dos hospitais e unidade especializada em Fortaleza.

O problema agrava-se, segundo ele, com o envio de pacientes oriundos da Região Metropolitana e do interior do Estado. O representante da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) defende que os municípios maiores deveriam resolver os problemas de média complexidade em seus próprios limites geográficos. Para ele, é necessário integrar o sistema do Estado e compartilhar a responsabilidade, para não sobrecarregar outras cidades.

O representante pontua ainda que nem todos os pacientes serão encaminhados ao IJF. "A central de leito faz busca ativa na rede. Olha todas as unidades que tem capacidade instalada e qual é perfil para aquele paciente". 

Romel Araujo destaca que 51% dos pacientes atendidos no IJF são do Interior. "É necessário a integração da rede dos 184 municípios. No sentido de que cada município aumente sua capacidade instalada. Para que eles possam fazer aquilo que cabe ao seu perfil, e “contrarreferenciar” para suas macrorregiões, para, então, conseguir atender mais pacientes", sugere.

REFORMAS

De acordo com o coordenador dos hospitais e unidade especializada de Fortaleza, o frotinha da Messejana, dentro de um mês, deve passar por uma terceira fase de reformas. As obras dessa etapa contemplam a emergência e o centro cirúrgico da unidade hospitalar. De acordo com Araújo, a expectativa é ampliar em 40% a capacidade instalada do hospital municipal. “Se fazia 300 cirurgias por mês vai passar para 420”. Segundo ele, a licitação foi feita e um plano de contingência é elaborado para iniciar as obras.

“Para a emergência não parar como um todo, vai ser interditado parte dela. Terminada a primeira fase, o novo local será ocupado e o outro reformado. Depois dessa fase, passa para o bloco cirúrgico onde o foco será na ampliação do centro de material e sala de recuperação”, detalha. A primeira fase de intervenção no hospital municipal abarcou a reforma e ampliação de enfermarias e postos de enfermagem especializados. A segunda atingiu farmácia, necrotério e casas medicinais.

“A expectativa é de todos os hospitais municipais serem entregues até 2020”, projeta Romel Araujo. Quanto às intervenções no Frotinha de Messejana, a expectativa é iniciar a obra nos próximos 30 dias. “Isso está acontecendo não só em Messejana, com o Frotinha, lá no Antônio Bezerra deve ser entregue em outubro”. Espera-se, conforme o coordenador, entregar os três Frotinhas de Fortaleza (Messejana, Parangaba e Antônio Bezerra) reformados até 2020, ano de eleições municipais.

Ítalo Cosme