PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Caminhada em Fortaleza pede fim da violência contra idosos

A caminhada aconteceu na manhã deste sábado, 15, na avenida Beira Mar. Pelo menos 500 pessoas estavam presentes, segundo os organizadores. Dentre elas, pessoas idosas vivendo em instituições de acolhimento

18:08 | 15/06/2019
 Cerca de 100 idosos de instituições de acolhimento participaram da caminhada
Cerca de 100 idosos de instituições de acolhimento participaram da caminhada(Foto: Divulgação)

Neste sábado, 15, no Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa, a Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa da OAB Ceará, promoveu uma caminhada ao longo da Avenida Beira-Mar em referência à data. A concentração foi às 7 horas da manhã, em frente ao Boteco Praia. A caminhada seguiu até a altura da rua Osvaldo Cruz e contou com cerca de 500 pessoas.

Além da sociedade civil, cerca de 100 idosos de instituições de acolhimento, o presidente da OAB Ceará, Erinaldo Dantas, e alguns membros das mais de 70 comissões temáticas da seccional estavam presentes. Deputados estaduais e vereadores de Fortaleza também foram convidados a participar da caminhada. Estiveram o deputado federal Denis Bezerra (PSB), deputado estadual Heitor Férrer (SD) e o vereador Plácido Filho (PSDB).

Segundo o presidente da Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa, Raphael Castelo Branco, o evento tem o objetivo ampliar o conhecimento da sociedade sobre essa violação aos Direitos Humanos. O Ceará teve uma média de quatro denúncias de agressão a idosos por dia, em 2018, e aparece, nas estatísticas como o Estado do Nordeste com o maior número de denúncias.

O presidente da OAB Ceará, Erinaldo Dantas, e alguns membros das mais de 70 comissões temáticas da Seccional também participaram
O presidente da OAB Ceará, Erinaldo Dantas, e alguns membros das mais de 70 comissões temáticas da Seccional também participaram (Foto: Divulgação)

Raphael ainda aponta que esses dados podem levar a duas análises: a primeira é que, de fato, vivemos em um estado violento, que precisa ter um olhar diferenciado em relação à pessoa idosa. A segunda, por meio da qual mobilizações como essa tomam forma, é que, hoje, a população está mais consciente sobre a importância da denúncia desses casos de violência. “Todos os órgãos que aqui estão representados: Ministério Público, OAB, os conselhos municipais e estaduais. Todos nós estamos irmanados no sentido de incentivar essas denúncias para tentar mudar esse quadro de violência ainda existente”, complementa.

O presidente da OAB Ceará, Erinaldo Dantas, destacou a importância da caminhada e da participação das pessoas idosas. “Se para a gente é bacana estar andando aqui na Beira-Mar, vendo esse movimento, imagina para eles, que às vezes têm uma vida difícil em asilos. A gente consegue unir uma ação que movimenta a vida deles, que traz lazer para eles, ao mesmo tempo que traz reflexão para a sociedade”, conta. A expectativa de Erinaldo é que essa seja a primeira de muitas caminhadas. Raphael complementa ao projetar que essas movimentações aconteçam em relação a todas as idades e grupos vulneráveis da sociedade cearense.

A concentração foi às 7 horas da manhã e a caminhada seguiu até a altura da Rua Osvaldo Cruz, na Aldeota
A concentração foi às 7 horas da manhã e a caminhada seguiu até a altura da Rua Osvaldo Cruz, na Aldeota (Foto: Divulgação)

Violência contra a pessoa idosa

A violência contra o idoso é uma realidade que precisa ser combatida no Brasil. O dia 15 de junho marca o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa. A data foi instituída em 2006, pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa. Segundo a Organização Mundial de Saúde, a violência contra a pessoa idosa consiste em ações ou omissões cometidas uma vez ou muitas vezes, prejudicando a integridade física e emocional da pessoa idosa, impedindo o desempenho de seu papel social.

 Serviço:

Para fazer denúncias de violência contra a pessoa idosa disque 100

Redação O POVO Online