PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Um preso em Fortaleza na operação de combate a crimes cibernéticos

Organização criminosa teria invadido o sistema de uma empresa responsável pela elaboração de concursos, inclusive o exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

09:33 | 04/06/2019
NA CAPITAL, Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão e uma prisão preventiva
NA CAPITAL, Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão e uma prisão preventiva (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

Agentes da Polícia Federal (PF) cumpriram no início da manhã desta terça-feira, 4, um mandado de prisão preventiva e outro de busca no Ceará. A Operação Singular tem como alvo suspeitos de envolvimento em crimes cibernéticos. Os investigadores encontraram indícios de roubos de dados bancários e invasão de sistemas de concursos comandados por uma organização criminosa.

Ao todo, foram expedidos cinco mandados de busca e apreensão e cinco de prisão preventiva. Além do Ceará, a operação se estende também em São Paulo e Rio Grande do Sul. 

Os policiais encontraram sete articuladores da organização criminosa. Eles teriam invadido o sistema de uma empresa responsável pela elaboração de concursos, inclusive o exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Na tarde desta terça-feira, a OAB lançou nota na qual informava que os cinco mandados de prisão preventiva haviam sido cumpridos.

"Foram encontradas fraudes bancárias, com roubo de dados de cartões de crédito, que envolviam a aprovação de candidatos na 1° fase da OAB e outros ilícitos. De acordo com a PF, um dos hackers da quadrilha invadiu o sistema de informática da empresa responsável pela elaboração de concursos e cobrava valores em criptomoedas para aprovar candidatos que conseguissem chegar à segunda fase do exame da OAB. Dos mandados de prisão, dois foram cumpridos em São Paulo (um na capital e outro em Santos); dois no Rio Grande do Sul (em Santa Maria e Tapes) e outro no Ceará (Fortaleza)", informou a nota. 

"A Ordem dos Advogados do Brasil vem, desde setembro de 2018, colaborando com a Polícia Federal na investigação. A OAB já solicitou informações da PF sobre os autos e resultados da operação que identificou ataque cibernético ao sistema da Fundação Getúlio Vargas, empresa contratada para a aplicação do Exame de Ordem, e está junto acompanhando as investigações e colaborando com mais informações", completou.

O POVO Online procurou a assessoria de imprensa da PF no Ceará, que confirmou a operação, mas informou que mais informações serão repassadas somente pela PF em São Paulo.

 

Atualizada às 17 horas

Redação O POVO Online