PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Preço da gasolina em Fortaleza custa em média R$ 4,60, acima do nacional

Em pesquisa realizada pela ANP, o valor máximo da gasolina na Capital é de R$ 4,79, e o mínimo é de R$ 4,55

14:41 | 27/05/2019
Posto Parajana, na avenida Silas Munguba
Posto Parajana, na avenida Silas Munguba(Foto: Tatiana Fortes/Tatiana Fortes)

Mesmo com queda anunciada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço do litro da gasolina em Fortaleza ainda está acima da média nacional. Enquanto o valor médio do combustível está R$ 4,55 no Brasil, na Capital os consumidores encontram a gasolina por R$ 4,607 em média, segundo a última pesquisa da agência realizada entre os dias 19 e 25 de maio. O POVO Online visitou postos de combustíveis para conferir as variações de preços nesta segunda-feira, 27.

Na avenida Deputado Paulino Rocha, no bairro Cajazeiras, um posto de bandeira Ipiranga vende o litro de gasolina por R$ 4,74. O gerente, que não quis se identificar, explicou que o valor baixou três centavos na semana anterior e deve continuar nesta faixa de preço. Este valor é próximo do máximo (R$ 4,79) registrado pela pesquisa da ANP em Fortaleza. O posto oferece um desconto que pode chegar a 5% do valor caso o consumidor faça uso do aplicativo da bandeira.

FORTALEZA,CE,BRAZIL,27.05.2019: Posto Ipiranga, na avenida Paulino Rocha. Postos de gasolina começam a baixar preço de combustível. (fotos: Tatiana Fortes/ O POVO)
FORTALEZA,CE,BRAZIL,27.05.2019: Posto Ipiranga, na avenida Paulino Rocha. Postos de gasolina começam a baixar preço de combustível. (fotos: Tatiana Fortes/ O POVO) (Foto: Tatiana Fortes)

O litro mais barato da gasolina encontrado pela pesquisa na Capital foi de R$ 4,55. A reportagem encontrou dois postos vendendo o combustível por um valor mais barato. No bairro Serrinha, o Posto Parajana, localizado na avenida Silas Munguba, vende o litro por R$ 4,49. No Multi Posto, também no bairro Serrinha, a gasolina custa R$ 4,45.

Para Antônio José Costa, assessor de economia do Sindipostos, esses postos deixam o preço mais barato por não ter bandeiras que chamam a atenção do consumidor. No entanto, nem sempre os valores serão menores que os de marcas tradicionais, já que os preços são dinâmicos e variam constantemente.

Nas próximas semanas, de acordo com o representante do sindicato, a diminuição de 0,18% anunciada pela ANP deve começar a chegar ao varejo. Ele explica que à medida em que o estoque vai secando, novas compras são feitas pelos donos dos postos de combustíveis, já com o preço mais barato.

Redação O POVO Online