PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Fortaleza tem redução de 49,7% nos registros de dengue, chikungunya e zika

Os casos de arboviroses tiveram diminuição na quantidade de casos, segundo a Secretaria Municipal da Saúde da Capital

22:46 | 03/05/2019
Aedes aegypti é o mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus.
Aedes aegypti é o mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus. (Foto: Arquivo Agência Brasil)

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) comunicou que houve redução de 49,7% no número dos casos de arboviroses na capital na manhã de hoje, 3, durante uma reunião no Paço Municipal. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) no primeiro quadrimestre de 2019, houve o registro de 623 casos de dengue, contra 955 em 2018. Uma redução de 34,8%.

Os casos de chikungunya também sofreram uma diminuição. Foram 73 em 2019 até o momento e 418 em 2018, representando 82,5% a menos nesse mesmo período. Em comparação entre 2019 e 2017, houve uma redução de 99,8%.

O zika vírus ainda não teve nenhum caso confirmado na capital cearense, segundo a SMS; no ano passado, 10 pessoas tiveram a doença.

“Nesse primeiro quadrimestre já tivemos uma redução significativa em relação a 2018. Essa é a incidência mais baixa dos últimos dez anos e se deve a um conjunto de circunstâncias, mas boa parte delas à ação bem direcionada pela Secretaria de Saúde”, disse o prefeito durante a reunião.

Conforme dados do Ministério da Saúde, houve um crescimento de 264% nos casos de dengue em todo o país, enquanto Fortaleza mostrou um cenário contrário e registrou uma diminuição da doença.

David Moura/O POVO Dados