PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Graças à ação de guarda-vidas, filhotes de tartaruga ameaçada de extinção encontram caminho do mar na Praia do Futuro

Com a área isolada, os bombeiros guiaram os filhotes com a luz de lanternas para que chegassem até o oceano.

00:36 | 26/04/2019
(Foto: Divulgação/Instituto Verdeluz)

Mais de 150 filhotes de tartaruga-de-pente encontraram o caminho do mar nessa quarta-feira, 24, graças à ação de guarda-vidas da 1ª Companhia de Salvamento Marítimo do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE). Os 161 filhotes da espécie Eretmochelys Imbricata - segundo tipo de tartaruga mais ameaçado de extinção no planeta - conseguiram chegar ao oceano em segurança. O local onde a desova aconteceu foi monitorado por militares durante dois meses, com a participação de donos de barracas dos entornos. A operação também contou com um membro do Grupo de Estudos e Articulações Sobre Tartarugas Marinhas (GTAR-Verdeluz), e durou mais de duas horas.

Com a a área isolada, os bombeiros guiaram os filhotes com a luz de lanternas para que chegassem até o mar. De acordo com Gabriel Chagas, biólogo e membro do Grupo de Estudos e Articulações Sobre Tartarugas Marinhas (GTAR- Verdeluz), as tartarugas marinhas não possuem boa visão fora da água, o que faz com que atendam a estímulos luminosos. Na Praia do Futuro, as luz da lua acaba se confundindo com outras fontes de iluminação, como postes de luz. Isso faz com que muitas tartarugas caminhem para ciclofaixas, calçadas e ruas, ficando expostas ao trânsito. Geralmente essas tartarugas são socorridas pelo GTAR-Verdeluz, moradores locais, funcionários de barracas, bombeiros ou Polícia Ambiental.

Confira vídeo da ação:

"Muitos deles estavam indo no sentido contrário", contou Gabriel Chagas ao O POVO Online. Gabriel ainda conta que devido ao carisma das tartarugas, muitas pessoas levam os filhotes para casa, o que é considerado ilegal. A prática de captura de ovos, filhotes e tartarugas adultas é crime ambiental.

No passado, a carapaça atraente das tartarugas-de-pente eram utilizadas para confecção de pentes, óculos e outros adereços, o que contribuiu para sua ameaça de extinção. Hoje, as principais ameaças para as tartarugas marinhas são apoluição, a pesca, as mudanças climáticas e a ocupação da orla.

 

Não só as tartarugas-de-pente, mas todas as espécies marinhas de tartaruga estão ameaçadas de extinção, o que é prejudicial para o ecossistema oceânico, pois existe uma forte contribuição para a transferência de energia. Ao mesmo tempo que são predadores de determinados organismos, também são presas de tubarões. "As tartarugas marinhas em geral são animais que possuem uma alimentação diversa, sendo a tartaruga-de-pente importante no controle de populações de moluscos, crustáceos, cnidários entre outros organismos", explica Gabriel Chagas ao O POVO Online.

lucas de Paula