PUBLICIDADE
Fortaleza
Associação dos oficiais

Associação faz alerta para que PMs não sejam considerados culpados antes do processo legal

O relato foi feito pelo presidente da Assof, tenente PM Pedro Moura

23:53 | 28/03/2019

Associação dos Oficiais do Ceará (Assof) informou que vai acompanhar o caso do tenente-coronel e do major que foram presos nesta quinta-feira, 28, durante operação do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE). O objetivo seria evitar que os agentes de segurança sejam considerados culpados antes do processo legal. O relato foi feito pelo presidente da Assof, tenente PM Pedro Moura.

Os oficiais Paulo de Tarso Marques Paiva, que é comandante Batalhão da Polícia do Meio Ambiente (BPMA), com sede na cidade de Sobral, e o major Francisco Marcelo Nantua Bezerra, comandante da 2ª Companhia do 3° Batalhão da Polícia Militar, com sede em Tianguá, estão entre os presos. 

De acordo com o presidente da Assof, foi designado um advogado do setor jurídico da associação para acompanhar o caso e atuar para que as "garantias do devido processo legal sejam respeitadas", disse.

De acordo com Pedro Moura, é importante esse acompanhamento para que não aconteça de "presumir que o policial é culpado para que seja dada uma resposta rápida à sociedade".

 

Jéssika Sisnando