PUBLICIDADE
Fortaleza
BAIRRO BENFICA

Segurança é afastado após expulsar crianças que vendiam balas na calçada de shopping em Fortaleza

De acordo com testemunhas, o segurança deu empurrões e ameaçou bater nas crianças. Alegadamente, elas estão em situação de rua

23:06 | 12/03/2019

Duas crianças que vendiam balinhas na calçada do shopping Benfica, em Fortaleza, foram expulsas e ameaçadas por segurança da empresa. O caso aconteceu na noite desta terça-feira, 12, próximo da entrada da estação Benfica do Metrô de Fortaleza, e chamou atenção de quem passava pelo local. O Conselho Tutelar foi acionado.

De acordo com testemunhas, o segurança deu empurrões e ameaçou bater nas crianças, além de que teria apontado um punhal na direção delas, acusando-as de furtar clientes. Já o shopping, denominando o profissional como "fiscal de piso", nega que qualquer material cortante tenha sido usado na ação.

Em gravação feita por quem passava na calçada, é possível ouvir o fiscal sendo repreendido após dizer que "eles vendem (balinhas) para comprar drogas" e que as crianças choram "para chamar atenção". Alegadamente, as crianças estariam em situação de rua.

"Os fiscais usam rádio. A antena pode ter sido confundida com outro objeto", disse Paulo André, representante da assessoria de administração do shopping Benfica. Com base nas imagens do circuito interno de câmeras de segurança, ele concorda que a abordagem foi incorreta e afirma que o fiscal já foi afastado.

"Essa prática é comum em vários shoppings. As crianças incomodam os clientes e de certa forma a gente quer contornar, mas respeitamos o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Este foi um fato isolado. O shopping tem responsabilidade social, repudia qualquer tipo de violência e não compactua com agressões. Tomaremos as providências necessárias, inclusive junto à fiscalização do Ministério do Trabalho (em relação ao trabalho infantil) e pedir que o Conselho Tutelar chegue junto, para evitar outros problemas", completou Paulo André.

Denúncias

Qualquer pessoa pode procurar o Conselho Tutelar e denunciar situações de suspeita ou confirmação de violações de direitos humanos de crianças e adolescentes, a exemplo de violência sexual (abuso ou exploração sexual), violência física e abandono. 

O atendimento pode ser realizado pessoalmente ou por meio telefônico: (85) 3238.1828 / (85) 98970.5479. Existe também o Disque Direitos Humanos ou Disque 100, serviço da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República que recebe denúncias de forma rápida e anônima e encaminha para os órgãos competentes em até 24 horas.

Lucas Braga