PUBLICIDADE
Fortaleza
PODCAST

No Dia Internacional da Mulher, "Recorte" debate questões de gênero

Neste episódio, as jornalistas Maísa Vasconcelos e Eduarda Talicy recebem as jornalistas Silvia Bessa e Bruna Forte

21:58 | 08/03/2019

Num país como o Brasil, em que uma mulher é violentada a cada sete segundos, celebrar o Dia Internacional da Mulher é, sobretudo, tratar com seriedade questões relacionadas, por exemplo, a machismo, violência de gênero, igualdade de direitos e representatividade.

Tendo em vista essa necessidade, a 28ª edição do "Recorte", podcast do O POVO apresentado pelas jornalistas Maísa Vasconcelos e Eduarda Talicy — que "tira" as férias de Ítalo Coriolano — explica por que o Dia da Mulher é de luta e, não, meramente de flores.

Listen to "#28 - Dia Internacional da Mulher: por que luta e não flores" on Spreaker.

O debate conta com a participação das jornalistas Silvia Bessa e Bruna Forte, também jornalistas da Casa, que analisam as estatísticas de agressões, explicam as diferentes formas de violência contra a mulher, provocam discussões sobre machismo estrutural, equidade, respeito e representatividade e comentam sobre a rede de assistência estadual.

O “Recorte” foi lançado no dia 25 de janeiro para discutir os principais fatos do dia, sempre com análise dos jornalistas do O POVO e entrevistas com personalidades e especialistas.

Disponível em outras plataformas RSS feed: http://bit.ly/recortfeed

Assine o podcast no iTunes (e avalia a gente): http://bit.ly/recortrssapple

Segue a gente no Spotify: http://bit.ly/recortspotf

Segue a gente no Deezer: http://bit.ly/recotdeez

SERVIÇO

Mulheres vítimas de violência encontram assistência integrada na Casa da Mulher Brasileira

O local reúne serviços das seguintes instituições: Ministério Público, Delegacia de Defesa da Mulher, Centro de Referência da Mulher, Juizado Especializado e Defensoria Pública. O foco é o atendimento a mulheres que sofreram qualquer tipo de violência de gênero, como: violência doméstica (física, psicológica, moral, sexual e patrimonial), assédio moral, assédio sexual, negligência, violência institucional, pornografia virtual, entre outras.

Onde: Rua Tabuleiro do Norte com Rua Teles de Sousa - Couto Fernandes

Horário de atendimento: aberto 24 horas

Telefone: (85) 3108-2999

Para denúncias de assédio e violência contra a mulher, ligue 180 ou 190

Redação O POVO Online