PUBLICIDADE
Fortaleza
BICICLETAS COMPARTILHADAS

130 novas estações do Bicicletar devem ser implantadas com edital lançado nesta sexta-feira

Prioridade é levar sistema a bairros que não foram contemplados ainda com as bicicletas

15:21 | 08/03/2019
Estações vão ganhar novos apetrechos de segurança (Foto: Fabio Lima/O POVO)
Estações vão ganhar novos apetrechos de segurança (Foto: Fabio Lima/O POVO)

Edital lançado nesta sexta-feira, 8, pela Prefeitura de Fortaleza pretende contratar nova empresa para cuidar do sistema de bicicletas compartilhadas da Capital. Para participar, os concorrentes devem apresentar um patrocinador que garanta pelo menos 80 estações sem custos ao município. Além disso, devem propor orçamento para 130 novas estações que serão pagas com o dinheiro disponível no fundo da Zona Azul.

De acordo com o prefeito Roberto Cláudio, atualmente o sistema conta com 80 estações. Com as novas o número deve chegar a 210 até o fim deste ano. O número pode aumentar conforme a proposta vencedora. A empresa que apresentar menos custos ao município para a implantação do novo sistema deve ganhar a licitação. Aspectos técnicos também são cobrados. “A grande demanda é levar o Bicicletar para onde não conseguimos chegar ainda”, diz o prefeito.

O projeto prevê a ampliação do sistema para bairros que ainda não foram contemplados com as estações atuais. O prefeito afirmou que a Zona Oeste da cidade, que compreende bairros como Barra do Ceará, Pirambu, Álvaro Weyne e Carlito Pamplona, será prioridade para as novas bicicletas. Ele citou também a Grande Messejana como área importante para expansão.

“Nas áreas que o patrocinador não deseja implantar as bicicletas, a prefeitura chegará”, diz o secretário de Conservação e Serviços Públicos, Luiz Alberto Sabóia. Para isso, o dinheiro arrecadado com os pagamentos de estacionamentos na Zona Azul serão usados para contratar o maior número possível de estações. O processo licitatório deve seguir até o final de maio e o serviço deve começar em julho.

Com informações da repórter Angélica Feitosa

Redação O POVO Online