PUBLICIDADE
Notícias
9 são presos

Detentos da CPPL e familiares são identificados após série de golpes em site de vendas

A organização criminosa foi desarticulada e, após a prisão dos familiares suspeitos, uma operação foi desencadeada na CPPL 5

22:46 | 19/02/2019
Os criminosos realizaram golpes e adquiriram vídeo games e até uma cadeira de rodas
Os criminosos realizaram golpes e adquiriram vídeo games e até uma cadeira de rodas

Uma organização criminosa suspeita de aplicar golpes por meio do site de vendas OLX foi desarticulada pela Polícia Civil e sistema penitenciário nesta terça-feira, 19, em Fortaleza. Quatro detentos da Casa de Privação Provisória da Liberdade Cinco (CPPL 5) e familiares dos presos foram identificados e autuados pela equipe do 19º DP, bairro Conjunto Esperança.

De acordo com o inspetor Rodrigo Miaggy, dezenas de boletins de ocorrência (B.Os) denunciavam o golpe na OLX. As vítimas utilizavam o site para anunciar aparelhos de vídeo game e até cadeiras de rodas. As pessoas eram contactadas e os criminosos enviavam um falso comprovante bancário para forjar a transferência. Quando a vítima desconfiava, os criminosos passavam a extorquir e colocavam a fotografia da vítima como um "decretado" da facção criminosa.

Celulares utilizados no golpe foram apreendidos na penitenciária
Celulares utilizados no golpe foram apreendidos na penitenciária (Foto: Divulgação )

A partir de investigação do 19º DP, a equipe de policiais civis chegou a uma placa de veículo e identificou o motorista da organização, que era responsável por buscar os objetos adquiridos por meio do golpe. A suspeita apontada como responsável pela parte financeira da organização também foi detida. Todas as pessoas eram familiares dos detentos. Na casa delas, nos bairros Demócrito Rocha, Itaperi e Serrinha, foram encontrados os pertences das vítimas.

Os presos são Adriano Correia Martin, Gisleuda Oliveira da Silva, Juliana da Silva Pereira, Dalva Maria Santos Pereira e Edson Gonçalves de Sousa. Já os detentos identificados são Teogenes Sampaio de Sousa, Francisco Juliano Santos Pereira, Davi Alves da Costa e Tarcilio Sousa da Silva, conhecido como Dragão.

Depois que foi feito o flagrante dos familiares, houve operação realizada pelos agentes penitenciários da equipe Beta e da Coordenadoria de Inteligência do Sistema de Administração Penitenciária. Os celulares foram apreendidos e os internos foram recolhidos ao isolamento. Os familiares dos detentos foram autuados por receptação, associação criminosa e extorsão. 

Jéssika Sisnando