PUBLICIDADE
Notícias
Ancuri

Tatuador foragido do RN por homicídio é preso em Fortaleza

Tallys Tanilis de Oliveira Brito, 29, tinha mandado de prisão preventiva expedido em 2014, na cidade em Mossoró, por homicídio. Ele foi preso nesta sexta, no bairro Ancuri, em Fortaleza

00:00 | 09/02/2019

Foragido há quase cinco anos por suspeita de homicídio praticado em 2014, o jovem Tallys Tanilis de Oliveira Brito, 29, foi preso nessa sexta-feira, 8, no bairro Ancuri, em Fortaleza. Conhecido pelo apelido de Tatuador, ele foi encontrado em uma residência no conjunto habitacional José Euclides Ferreira Gomes, no bairro Ancuri, durante uma operação que investiga suspeitos de participação no ataques realizados no Ceará. Tallys estava na casa de uma adolescente suspeita de envolvimento no ataque a ônibus no dia 29 de janeiro.

Durante a ação coordenada pelo 30° Distrito Policial (DP), o tatuador apresentou nome falso aos profissionais de segurança. No entanto, após alegar que era natural do Rio Grande do Norte, a Polícia Civil cearense contatou a Polícia Civil do estado vizinho. Foi então que os profissionais de segurança chegaram ao nome de Tallys, que se encontrava foragido da Justiça do RN.

No dia 8 de fevereiro de 2014, Tallys Tanilis assassinou Marcos Vinicius de Lima Soares, de 15 anos, em Mossoró. Na ocasião, o autor do crime publicou nas redes sociais mensagens confessando o crime e afirmou ainda que a motivação do crime foi ciúmes, após a vítima flertar com a então companheira de Tallys. O homem agora se encontra preso e, nos próximos dias, as polícias civil cearense e potiguar farão as tratativas para a remoção dele para o estado vizinho

A adolescente que estava junto com Tales era investigada ato infracional análogo à participação em um incêndio a um coletivo, ocorrido no dia 28 de janeiro deste ano, no bairro Sítio São João. A jovem é suspeita de derramar combustível no interior do veículo, que foi queimado, na companhia de outros suspeitos. Ela foi encaminhada para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA).

Uma terceira pessoa, uma mulher, também foi conduzida ao 30° Distrito Policial pela equipe. Em seguida, ela foi encaminhada para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que apura o seu envolvimento em crimes na Capital, entre eles, homicídios. A Polícia Civil agora trabalha para capturar os outros envolvidos nos atos criminosos na região, que já foram identificados por meio dos trabalhos realizados pelo 30° DP.

Redação O POVO Online