PUBLICIDADE
Notícias
Segurança Pública

Ministério diz que saída da Força Nacional será gradativa e foi tratada com SSPDS

General Guilherme Theophilo, governador Camilo Santana e secretário André Costa deram declarações divergentes ao longo do dia sobre a atuação da tropa no Ceará a partir desta semana

19:29 | 05/02/2019
Força Nacional, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e militares de outros estados reforçam a segurança no Ceará
Força Nacional, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e militares de outros estados reforçam a segurança no Ceará

Logo após completar um mês de atuação no Ceará, a atuação da Força Nacional da Segurança Pública (FNSP) foi motivo de divergência entre o Governo do Estado e o Ministério da Justiça e Segurança Pública. Na manhã desta terça-feira, 5, o secretário nacional da Segurança Pública, general Guilherme Theophilo, informou que a saída da tropa seria progressiva, a partir desta semana. Ele ainda afirmou que a medida foi discutida na última segunda-feira, 4, com André Costa, secretário Estadual da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Minutos depois, o governador Camilo Santana (PT) deu declarações divergentes do general ao afirmar que, extraoficialmente, a tropa permaneceria no Ceará por mais 30 dias. "A informação não oficial que foi dada é que a Força Nacional irá ser estendida, apesar de que ministro acha que a situação já foi resolvida no Ceará", disse o governador durante a primeira sessão do legislativo estadual.

O entendimento do governador foi endossado também por André Costa. Apesar de confirmar o encontro com o general em Brasília, ele comentou sobre diretrizes diferentes daquelas informadas por Theophilo. “O nosso tempo é o tempo do sistema penitenciário. Quanto antes concluirmos a instalação dos procedimentos em todos os presídios, com mais rapidez vamos concordar com o Governo Federal de retirar as tropas”, disse.

Sistema penitenciário

Pela manhã, o general havia comentado que paralelamente à retirada das tropas haveria a tentativa de garantir o envio de 100 agentes penitenciários para ajudar a reforçar a segurança nas unidades prisionais. "O governador nos informou que as medidas tomadas lá: convocar o pessoal da reserva, retirar os que estavam de férias e pagar hora extra. Também deixamos um legado de equipamentos, armamentos, equipamentos de inteligência que vão permanecer no Ceará para que possam manter, com os recursos que tem, a segurança no Estado", avaliou.

Impasse

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa do Governo do Ceará informou que o Estado solicitou a permanência por 30 dias e quaisquer outras dúvidas deveriam ser encaminhadas ao Governo Federal, que é quem pode tomar decisões sobre a tropa.

Já a assessoria de imprensa do Ministério da Justiça e Segurança Pública informou que a posição do Governo Federal está mantida e as tropas começarão a ser retiradas nesta semana.