PUBLICIDADE
Fortaleza
CRISE NA SEGURANÇA

Aumenta para 336 o número de detidos por participação em ataques no Ceará

De sexta-feira para este sábado, pelo menos 17 pessoas foram presas

20:07 | 12/01/2019
Abordagem de Policiais Militares em comunidade de Fortaleza (Foto: Mateus Dantas/O POVO)
 
Com as seis pessoas presas neste sábado, 12, no bairro Jangurussu, o número de pessoas detidas por envolvimento com os ataques no Ceará subiu para 336. Dois dos suspeitos estavam dentro de terreno abandonado que guardava carga roubada de cinco toneladas de explosivos. Outros três participam de ações monitoradas pela Polícia do Estado, mas que não foram divulgadas. Das 17 horas de sexta-feira, até a manhã deste sábado, foram presos 11 suspeitos.

 
Em sua página do Facebook, o governador Camilo Santana se pronunciou sobre a apreensão de explosivos no Jangurussu. Ele confirmou o número de detidos no post e parabenizou as forças policiais. Além das Polícia Militar e Civil estaduais, agentes de segurança da Força Nacional, bem como dos estados do Piauí, Santa Catarina, Pernambuco e Bahia estão trabalhando na segurança do Ceará.
 
 

Sessão extraordinária da Assembleia Legislativa é realizada neste sábado para votar projeto de lei com medidas desenvolvidas por Camilo para a crise atual. Dentre elas, a Lei da Recompensa, se aprovada, prevê o pagamento de quantia em dinheiro para cidadãos que passarem informações a polícia, resultando em prisões ou apreensões. A sessão começou nesta tarde e continua até a publicação desta matéria. 
 
Redação O POVO Online