PUBLICIDADE
Notícias
Segurança Pública

Número de detidos em onda de ataques sobe para 430; 31,6% são adolescentes

Delânia de Souza Barroso (27), é uma das suspeitas por colocar artefatos explosivos no viaduto da BR 020, em Caucaia. Ela foi presa na última quarta-feira, 23

15:37 | 25/01/2019
Veículos foram incendiados ontem no Conjunto Palmeiras
Veículos foram incendiados ontem no Conjunto Palmeiras

Foi atualizado para 430 o número de detidos por envolvimento nos ataques que acontecem no Ceará desde o dia 2 de janeiro. Desse balanço, 136 são adolescentes (31,6%). Entre os últimos presos, está Delânia de Souza (27), uma das suspeitas por colocar artefatos explosivos no viaduto da BR 020, em Caucaia. As informações foram divulgadas na manhã desta sexta-feira, 25, em coletiva da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS).

A secretaria também divulgou o perfil de outros presos suspeitos por envolvimento com os ataques. Entre eles está José Gil Ferreira (22), preso no último dia 14 e suspeito de participar de um roubo de carga explosiva, no dia 20 de dezembro de 2018. Ele também é acusado por negociação da venda de carga para Daniel Belmiro (27).

Daniel é suspeito pela compra, armazenamento e venda de carga explosiva, mesmo estando preso. Ele foi transferido para o presídio federal em Mossoró (RN) no último dia 7 de janeiro. Daniel é suspeito de realizar essa ação junto a Milene Constantino (20) e Ackel Jarley (35), ambos presos no dia 16 deste mês.

Também ligado a Daniel, Welyson Nogueira (21) é o único foragido divulgado pela secretaria. Ele é suspeito de participar do roubo da carga, junto a José Gil, e de atuar na venda ao detento transferido para o presídio de Mossoró.

Últimos ataques

Uma van foi atingida por um incêndio criminoso por volta das 5 horas desta sexta-feira, 25. O ataque aconteceu no bairro Dias Macêdo e o veículo teve perda total. Já na noite dessa quinta-feira, 24, uma escola foi incendiada por criminosos no Eusébio, por volta das 23 horas. No bairro Olho D’Água, moradores ajudaram a apagar as chamas, que danificaram mesas, paredes e a cozinha da escola.

Este é pelo menos o sexto ataque que acontece de quinta-feira, 24, para sexta-feira, 25, como parte da onda de ataques que atinge o Ceará desde o dia 2 de janeiro.

Acompanhe a cobertura de ataques pelo Instagram do O POVO