PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Interditada desde janeiro, Ponte dos Ingleses é cenário de abandono e deterioração

Sem movimentação de obras, o cenário que se forma é de completo abandono e deterioração. Não há previsão de quando o cartão postal será reaberto ao público

22:40 | 11/12/2018
Ponte dos Ingleses deteriorada
Ponte dos Ingleses deteriorada(Foto: )

Quem chega na Capital e pensa em apreciar o famoso pôr do sol na Ponte dos Ingleses, na Praia de Iracema, precisa mudar os planos. Em 25 de janeiro próximo, completa um ano desde que o equipamento está interditado. Conhecido popularmente como Ponte Metálica, o símbolo fortalezense vai passar por uma reforma, sob responsabilidade do Governo do Estado do Ceará. No entanto, não há previsão de quando o cartão postal será reaberto ao público.

Sem nenhuma movimentação de obras, o cenário que se forma é de completo abandono e, principalmente, deterioração. Encontrar uma barreira de ferro repleta de pichações e uma mensagem deixada pela Secretaria do Turismo do Estado do Ceará (Setur) é rotina para quem passa pelo Largo Júlio Pirata D'Iracema. "Em breve, novos bons momentos em uma ponte metálica renovada". 

A praia é destino de surfistas como o corretor de seguros Salomão Lustosa, de 41 anos. Carioca e morador da Capital cearense desde a infância, ele "pega onda" na praia do Poço da Draga pelo menos três vezes por semana. "É um lugar que deveria ser preservado, a estrutura ao redor também, até mesmo pra dar apoio a quem vem praticar esportes", reclama. "Pra esse lado, não vem mais ninguém. Agora, todo mundo vai para a Praia dos Crush (como tem ficado conhecido o Aterrinho da Praia de Iracema)".

A comerciante Regina Costa, de 58 anos, lamenta ver o lugar onde mora desde a infância entregue ao descaso do Estado. Ela teme que a Ponte se torne mais um elefante branco da Capital. "A gente tem até medo que toquem fogo. Isso fica o ano todo fechado, só madeira, né? É como se estivéssemos em uma lata de sardinha. O aquário fechado de um lado, a Ponte de outro e nós aqui no meio", dispara. "Se dependesse desse comércio para viver, já teria saído daqui. As vendas caíram 90%".

A previsão era de que a Ponte dos Ingleses fosse fechada para o público no segundo semestre de 2017, o que não ocorreu. A irregularidade na estrutura era evidente: tábuas soltas, parapeitos quebrados e má iluminação eram os primeiros itens verificados a olhos não técnicos. 

Sem reforma

O equipamento não passa por reforma há seis anos, desde 2012. Não bastasse o desgaste provocado pela maresia e até mesmo por atos de vandalismo, parte da estrutura foi destruída em março deste ano, nos dias 2 e 3, pela força da ressaca do mar. Em abril, a Setur informou que o Estado trabalhava com prazo de 120 dias para a conclusão da licitação e o início das obras.

O projeto é assinado pelos arquitetos e urbanistas Fausto Nilo e Delberg Ponce de Leon, os mesmos responsáveis pelo projeto de adaptação ao uso paisagístico e de lazer, em 1994. Com a reforma, a Ponte deverá passar por pequenas adaptações de acordo com a lei da acessibilidade. O equipamento também deve ganhar um projeto de luminotecnia para que possa ser visto de longe.

Impasse na administração 

Durante o ano de 2017, houve impasse sobre a gestão da Ponte dos Ingleses. Em dezembro do ano passado, o então titular da Secretaria do Turismo de Fortaleza (Setfor), Alexandre Pereira, chegou a confirmar ao O POVO que a Prefeitura aguardava apenas que o Governo do Ceará realizasse a reforma para lançar o edital visando à administração público-privada do equipamento. Em contato realizado nessa segunda-feira, 10, a assessoria da Setfor informou que não havia confirmação sobre a mudança.

O POVO Online questionou a Setur sobre o atraso no início das obras, novo prazo e que outros problemas a estrutura sofreu após a ressaca do mar. No entanto, mesmo após diversas tentativas de contato, nenhuma das perguntas foi respondida.

Rubens Rodrigues