Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Gastos após a morte de um familiar podem chegar a R$ 12 mil

Soma inclui planos funerários e jazigos, fora taxas de manutenção, advogados ou certidões
10:54 | Nov. 19, 2018
Autor -
Foto do autor
- Autor
Tipo Notícia

[FOTO1]Morrer sai caro e, para lidar com as burocracias, exige esforço de quem fica por aqui. Para além da dor da perda de um familiar, há muito a ser resolvido. Dos procedimentos funerários aos impostos de transmissão de bens. Há inclusive casos em que é necessária a contratação de um advogado. Gastos que incluem planos funerários e jazigos, fora taxas de manutenção, advogados ou certidões, chegam a mais de R$ 12 mil, segundo cálculo feito pelo O POVO

[SAIBAMAIS]Há quem opte pelo plano funerário, quase como um consórcio, que varia de R$ 40 a R$ 100 mensais dependendo dos benefícios e número de dependentes - que pode chegar a nove. Os planos não cobrem a compra do jazigo, que varia de 4 mil a R$ 8 mil, e as taxas de manutenção e sepultamento. Para se ter uma ideia, quem passa 10 anos pagando um plano de R$ 40 ao mês acaba gastando quase R$ 5 mil nesse período.

O pesquisador da área de finanças pessoais e comportamentais da Universidade Federal do Ceará (UFC), Érico Veras Marques, afirma que é preciso saber que tipo de "evento" a família pretende fazer para homenagear o ente querido. "Existem os custos do primeiro momento: jazigo, compra do caixão, preparação do corpo. Tem gente que contrata músicos para prestar as últimas homenagens", lista. 

Além do "básico", é preciso se preocupar com os aspectos legais. Dependendo do patrimônio, alguém poderá arcar com os custos advocatícios. Transferências mais simples podem ser feitas em cartório. "O ideal é ter sempre alguma reserva para esse tipo de situação, inclusive já ter um jazigo para a família", indica o pesquisador. Por isso, a preparação para o adeus deve vir também como um planejamento para atravessar um momento difícil da melhor maneira. 

De acordo com o economista Ênio Arêa Leão, é preciso avaliar os custos que a família poderá ter. "Como (quem morreu é) uma pessoa que gera renda, há a perda de uma renda específica, levando em consideração que parte desse valor custeia a família", afirma Ênio, que também é vice-presidente do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef) do Ceará. "É preciso estimar o valor necessário para a família se reestruturar na falta dessa pessoa. Desse valor, reduz-se o que ela tem de patrimônio que deixaria para família. A diferença é o que fica faltando para voltar a renda normal. O ideal é fazer um seguro de vida", recomenda. 

Os custos

Um dos procedimentos mais comuns é a contratação de um plano funerário. O Plano de Assistência Familiar Nova Jerusalém (Planje) conta com cinco tipos diferentes, do mais básico ao especial, passando pelo econômico ao empresarial. Todos para titular e nove dependentes. O mais barato custa R$ 40 por mês e tem adesão de R$ 60. O mais caro é o especial, com adesão de R$ 80 e mensalidade R$ 56. Já no Jardim do Éden, os planos variam de R$ 35 a R$ 105 mensais, para até cinco dependentes.

O valor é pago até o fim da vida. Os planos podem cobrir, dentre outras coisas, sala de velório, vestimenta, coroa de flores, ônibus para convidados, lembranças para o velório, necromaquiagem e transporte fúnebre. No entanto, os planos não cobrem o mais caro: o jazigo. Quem aderir ao espaço por meio de convênio com planos pode pagar um valor mais baixo, variando de R$ 4.200 a R$ 4.500. O lugar comprado diretamente no cemitério pode sair mais caro. 

O cemitério Parque da Saudade trabalha com três valores distintos de jazigos que variam de acordo com a localização: R$ 4.800, R$ 6.480 e R$ 7.560. É preciso lembrar que algumas taxas não estão inclusas. Para o sepultamento, é necessário desembolsar R$ 410; outros R$ 430 são pagos para a lápide e a placa de identificação, além de um porta flores. A manutenção do jazigo chega a R$ 373,92 mensais.

No cemitério Jardim do Éden, o jazigo especial - 30 centímetros maior que o padrão - custa de R$ 6.300 (à vista) a R$ 8.830,70 (em até 10 parcelas). O ossuário custa, pelo menos, R$ 2 mil. Ele é usado cinco anos após o sepultamento, quando os corpos são exumados, sendo retirados das gavetas e readequados em urnas ossuárias, para dar lugar a outra pessoa.
 
Outra possibilidade é a cremação, que no Parque da Saudade custa R$ 2.750. É preciso ainda comprar a urna onde as cinzas ficam guardadas, no valor de R$ 200.

Comercialização regulamentada

A comercialização dos planos de assistência funerária foi regulamentada em março de 2016. Conforme publicação no Diário oficial da União, a responsabilidade da empresa na execução do funeral é total. Empresas que descumprirem as exigências da lei poderão ser multadas, ter atividade suspensa até o cumprimento das exigências legais ou, em caso de reincidência, acabar com a interdição do estabelecimento. 

O advogado Jackson Machado, assessor jurídico do Sindicato das Empresas Funerárias do Estado do Ceará (Sefec), afirma que existem cuidados necessários para quem vai contratar serviços funerários. "É preciso saber se a empresa está regularmente constituída, se atende às exigências legais de alvará de funcionamento e, preferencialmente, que seja sindicalizada", diz.

Machado afirma que, dependendo da situação financeira da família, o corpo pode ser velado na própria residência em caso de o plano não cobrir um local para velório. "Se a família não tiver jazigo, normalmente (o corpo) vai ser encaminhado para cemitério público", continua. Ele explica que, em caso de partilha de bens, a família pode contratar um advogado para averiguar o inventário. "Se os filhos forem adultos e capazes e tudo correr de forma amigável, a partilha pode ser feito via cartório, sempre com a assessoria de uma advogado. Em cartório, os trâmites são mais rápidos do que em via judicial".

Cemitérios públicos
[FOTO2]
Fortaleza tem cinco cemitérios públicos, nos bairros Parangaba, Mucuripe, Messejana, Antônio Bezerra e Bom Jardim. O Cemitério da Messejana possui quatro mil jazigos e faz cerca de 25 sepultamentos por mês, conforme a Regional VI. No Cemitério São Vicente de Paula, no Mucuripe, a média é de 15 sepultamentos por mês. Lá, são 1.019 jazigos. Já no Cemitério da Parangaba o número de jazigos chega a nove mil. O Cemitério Santo Antônio, conhecido popularmente como Cemitério do Antônio Bezerra, tem hoje 1.693 jazigos. 

De acordo com a Prefeitura, é realizado atualmente um trabalho para a liberação de jazigos no Bom Jardim, o que deve terminar com sete mil novos espaços disponíveis para sepultamentos. O equipamento é destinado a famílias sem condições financeiras para arcar com as despesas funerárias. 

Para ter acesso ao local, é necessário entrar em contato com a assistente social do cemitério, que contacta as funerárias conveniadas com o Município para o atendimento gratuito. Esse processo vai do acolhimento inicial à exumação do corpo realizada a partir de cinco anos após o sepultamento. Em média, são cerca de 10 a 15 sepultamentos por dia no Cemitério do Bom Jardim. Todos os outros cemitérios têm vagas.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Covid-19: Em 24 horas, Brasil registra 910 mortes

Saúde
2021-07-31 20:07:14
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O total de vidas perdidas para a covid-19 subiu para 556.370. Em 24 horas, foram confirmadas 910 mortes em decorrência da doença. 

Já a soma de pessoas que pegaram covid-19 desde o início da pandemia foi para 19.917855. Entre ontem e hoje, as autoridades de saúde registraram 37.582 novos casos da doença. 

Ainda há 741.943 casos em acompanhamento. O nome é dado para pessoas cuja condição de saúde é observada por equipes de saúde e que ainda podem evoluir para diferentes quadros, inclusive graves.

O número de pessoas que se recuperaram da covid-19 chegou a 18.619.542

Os dados estão na atualização diária sobre a pandemia do Ministério da Saúde, divulgada pela pasta neste sábado (30). O balanço reúne os registros levantados pelas secretarias estaduais de saúde sobre casos e mortes relacionados à covid-19.

Estados

No topo do ranking de mortes por estado estão São Paulo (138.996), Rio de Janeiro (59.269), Minas Gerais (50.461), Paraná (35.233) e Rio Grande do Sul (33.334). Os estados com menos mortes são Acre (1.799), Roraima (1.855), Amapá (1.907), Tocantins (3.512) e Alagoas (5.809).

Boletim Epidemiológico 31/07/21

Vacinação

O Ministério da Saúde distribuiu 184,350 milhões de doses de vacina contra a covid-19, das quais 100,5 milhões foram aplicadas como primeira dose e 41,2 milhões como segunda dose ou dose única.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará e Fortaleza fazem primeiro Clássico-Rei da Série A de 2021

Vovô x Leão
2021-07-31 20:03:00
Autor Afonso Ribeiro
Foto do autor
Afonso Ribeiro Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

O encontro será no palco habitual, em horário pouco usual e em condição inédita. A partir das 20h30min deste domingo, 1º, Ceará e Fortaleza se enfrentam pela sexta vez na atual temporada para realizar o primeiro Clássico-Rei da Série A de 2021, em duelo válido pela 14ª rodada.

Em alta, os arquirrivais estaduais figuram juntos na primeira página da classificação — ou seja, entre os dez primeiros colocados. As campanhas positivas na elite nacional atraem os holofotes para o principal embate local.

Mandante do duelo, o Alvinegro ocupa a sétima posição, com 19 pontos, e defende invencibilidade de nove jogos consecutivos, com seis empates e três triunfos. Terceiro colocado, com 27 pontos, o Tricolor venceu os últimos quatro jogos do Brasileirão e chega embalado pelo resultado positivo sobre o CRB-AL, pela Copa do Brasil.

As equipes também se destacam em outros quesitos: o Leão tem a melhor defesa, com nove gols sofridos, e o quinto ataque mais positivo, com 21 tentos marcados — empatado com o Athletico-PR —, enquanto o Vovô é dono da sexta defesa menos vazada — ao lado de Fluminense-RJ e Palmeiras-SP, com 12 gols tomados —, enquanto o ataque é o nono melhor, com 14 tentos a favor.

Apesar do mistério tradicional antes de um clássico, Guto Ferreira e Juan Pablo Vojvoda já têm os respectivos times-base e devem promover mudanças para a partida. Os comandantes contam com retorno de titulares, que podem ser peças importantes para desequilibrar o embate.

No Ceará, o lateral-direito Buiú, o volante Marlon e o atacante Mendoza estão liberados após suspensões e devem reaparecer na equipe. A exemplo do colombiano, o lateral Gabriel Dias também teve a pena convertida pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e pode ser opção no banco de reservas.

No Fortaleza, Marcelo Benevenuto volta a ficar à disposição após ser ausência contra o CRB-AL e Matheus Vargas também deve retornar entre os titulares depois de ser preservado. Além da dupla, o goleiro Felipe Alves e o centroavante Wellington Paulista brigam por posição com Marcelo Boeck e Robson, respectivamente, e podem ser escolhidos para a formação inicial.

Ceará x Fortaleza

Ceará
4-2-3-1: Richard; Buiú, Messias, Gabriel Lacerda (Luiz Otávio) e Bruno Pacheco; Fernando Sobral e Marlon; Lima, Jorginho e Mendoza. Cléber. Técnico: Guto Ferreira

Fortaleza
3-5-2: Marcelo Boeck (Felipe Alves); Tinga, Benevenuto e Titi; Yago Pikachu, Felipe, Éderson, Matheus Vargas e Lucas Crispim; Robson (Wellington Paulista) e David. Técnico: Juan Pablo Vojvoda

Local: Arena Castelão, em Fortaleza/CE
Data: 1º/8/2021
Horário: 20h30min (horário de Fortaleza)
Árbitro: Denis da Silva Ribeiro Serafim/AL
Assistentes: Esdras Mariano de Lima Albuquerque/AL e Brigida Cirilo Ferreira/AL
VAR: Rafael Traci/SC
Transmissão: TNT, Premiere, Rádio O POVO CBN e Tempo Real O POVO

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Após causar mal-estar no PSDB por encontro com Lula, FHC diz que votará em Doria

POLÍTICA
2021-07-31 20:02:10
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) declarou neste sábado, 31, que pretende votar em João Doria (PSDB) para presidente nas eleições 2022.
A declaração foi registrada em vídeo divulgado pela equipe do governador paulista neste sábado, 31, e acontece semanas depois de um mal-estar causado pelo ex-presidente por causa de um encontro com Luiz Inácio Lula da Silva (PT), também presidenciável. FHC chegou a afirmar que votaria em Lula num eventual segundo turno entre o petista e Jair Bolsonaro (sem partido).
"Ele é candidato à Presidência e tem meu voto", diz FHC apontando para Doria no vídeo que circula nas redes sociais neste sábado. Além do governador, FHC aparece acompanhado dos presidentes de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, e do ex-presidente Michel Temer, na reabertura do Museu da Língua Portuguesa, neste sábado em São Paulo.
O encontro entre FHC e Lula rendeu críticas públicas de tucanos como Aécio Neves, Orlando Morando e do presidente da legenda, Bruno Araújo. Doria não se manifestou, mas aliados do governador disseram ao Estadão que ele ficou aborrecido ao saber do encontro. "Reafirmo, para evitar más interpretações: PSDB deve lançar candidato e o apoiarei; se não o levarmos ao segundo turno, neste caso não apoiarei o atual mandante, mas quem a ele se oponha, mesmo o Lula", afirmou FHC após a repercussão de seu encontro com Lula.
A disputa pelo posto de candidato à Presidência pelo partido em 2022 tem quatro nomes: Doria, o governador gaúcho Eduardo Leite, ambos em campanha para as prévias tucanas e, além deles, o senador Tasso Jereissati (CE) e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio (AM).
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Série D: Guarany segue no G-4, Caucaia sai da lanterna e Atlético-CE mantém quinto lugar

SÉRIE D
2021-07-31 20:02:00
Autor Mateus Moura
Foto do autor
Mateus Moura Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

As equipes cearenses finalizaram a nona rodada da Série D do Campeonato Brasileiro neste sábado, 31, com uma vitória, um empate e uma derrota. No grupo A3, o Atlético Cearense foi derrotado e está fora da zona de classificação para a segunda fase, com 11 pontos. Também no grupo A3, o Caucaia venceu após três derrotas seguidas e saiu da lanterna. Pelo grupo A2, o Guarany de Sobral empatou e segue no G-4.

O Atlético Cearense poderia ter se firmado no G-4 do grupo A3 da Série D, mas o revés por 3 a 0 diante do Campinense-PB, neste sábado, 31, no estádio Amigão, Campina Grande-PB, em confronto direto pela zona de classificação, deixou a equipe comandada pelo treinador Raimundo Wágner na quinta colocação, com 11 pontos, um a menos que o Treze-PB, quarto colocado. Na próxima rodada, o Atlético enfrenta o América-RN, sábado, 7/8, às 15 horas, no estádio Domingão, Horizonte-CE.

Após três rodadas seguidas sofrendo derrotas, o Caucaia venceu o Sousa-PB, por 1 a 0, e saiu da última colocação do grupo A3. Com 8 pontos, a Raposa abriu 2 pontos de vantagem para o Central, novo lanterna. Na próxima rodada, a equipe comandada pelo treinador Sergivaldo Cobel irá enfrentar o ABC-RN, domingo, 8/8, às 18 horas, no estádio Frasqueirão, Natal-RN.

O Guarany de Sobral continua firme no G-4 do grupo A2. O Cacique do Vale se manteve na segunda posição, com 16 pontos, após o empate por 1 a 1 contra o Imperatriz-MA. O Rubro-Negro enfrenta o líder 4 de Julho-PI, que soma 17 pontos, em confronto direto pelo topo da tabela, no sábado, 7/8, às 16 horas, na Arena Ytacoatiara, Piripiri-PI.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

São Bento vence Madureira, encerra jejum e vence a 1ª na Série D

Esportes
2021-07-31 19:37:22
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Após oito jogos de jejum, o São Bento-SP, enfim, venceu a primeira na Série D do Campeonato Brasileiro. Neste sábado (31), o Bentão superou o Madureira-RJ por 2 a 1 no estádio Aniceto Moscoso, popularmente conhecido por Comendador Souza, na zona norte do Rio de Janeiro, pela nona rodada da competição.

O clube paulista subiu para oito pontos e voltou a sonhar com uma das quatro vagas do Grupo 7 à segunda fase da Série D. São três pontos de diferença para o Cianorte-PR, quarto colocado e que fecha a zona de classificação, mas que ainda vai a campo pela rodada neste domingo (1º), contra o Santo André-SP, no estádio Albino Turbay, em Cianorte (PR), às 16h (horário de Brasília).

Os cariocas, com 13 pontos, ocupam o terceiro lugar da chave, mas podem ser ultrapassados justamente pelo Cianorte. O Tricolor Suburbano, que encerrou o primeiro turno da fase de grupos invicto, sofreu a segunda derrota consecutiva na competição.

O primeiro tempo foi de poucas emoções, muitos erros de passe, faltas e cartões (foram quatro, sendo três nos primeiros 15 minutos). Na única chance real, aos 17 minutos, o lateral Juninho Monteiro cruzou por baixo, pela esquerda, a bola quicou no gramado irregular e atrapalhou o atacante Índio, que - sem ângulo e na pequena área - acertou a trave esquerda.

A etapa final foi diferente. Aos três minutos, o atacante Judson foi lançado na entrada da área pela esquerda, cortou o lateral Léo Barboza, mas arrematou por cima do gol do Madureira. No lance seguinte, Eduardo entrou na área pela esquerda e cruzou rasteiro para o também atacante Sampaio se antecipar à zaga e ao goleiro do São Bento para abrir o placar.

A resposta paulista veio aos 17 minutos. Juninho Monteiro ganhou a disputa de cabeça na área com Anderson Cavalo, mas afastou nos pés do também atacante Kayan, que matou a bola no peito e chutou da linha da área, marcando um golaço. O gol acuou os cariocas e animou os visitantes, que seguiram no ataque e chegaram à virada aos 38 minutos. O atacante Ayrton avançou pela direita, deixando a marcação do Tricolor para trás, e rolou à esquerda, na saída do goleiro, para o meia Kadu - mesmo escorregando - colocar o Bentão à frente.

Nos minutos finais, o técnico do São Bento, Paulo Roberto Santos foi expulso por reclamação e foi até o meio do gramado discutir com o árbitro Marcel Phillipe Santos Martins. Mesmo sem o treinador, a equipe de Sorocaba (SP) conseguiu administrar a vantagem para conquistar a primeira vitória na competição.

As duas equipes têm duelos estaduais na próxima rodada da Série D. No sábado que vem (7), às 16h, o São Bento recebe a Portuguesa-SP no estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba. No outro domingo (8), às 15h, o Madureira faz o clássico contra o Bangu em Moça Bonita, zona oeste do Rio de Janeiro.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags