PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Casal relata caso de homofobia em pizzaria de Fortaleza

"Sensação de humilhação foi muito grande", desabafou uma das vítimas

12:10 | 24/09/2018
A pizzaria Casa da Itália, localizada na Messejana, foi palco de um caso de homofobia. No local, um casal de namorados foi constrangido por uma funcionária, que pediu para que eles se “comportassem” durante o jantar. A situação aconteceu na noite desse sábado, 22, e foi compartilhada nas redes sociais das vítimas. 

“Meu namorado e eu saímos muito abalados, sensação de humilhação foi muito grande”, desabafa Thiago Sena, 31, coordenador de marketing. De acordo com o relato, ele e o namorado, Belchior Araújo, 25, jantavam em uma das mesas do restaurante quando a funcionária, sem pedir permissão ou licença, sentou junto a eles. “Ela sentou na mesa e pediu que nos comportássemos melhor, pois ali era um ambiente de família com crianças”, detalha Thiago.

Ele lembra que, no momento da abordagem, estava apenas conversando com o namorado. O rapaz, então, questionou o que eles estariam fazendo de errado, mas a funcionária ignorou e pediu mais uma vez que eles se comportassem. “Meu namorado perguntou a ela o que ela queria dizer com 'se comportar melhor', porque estávamos apenas comendo, conversando e se abraçando eventualmente, como qualquer casal heterossexual presente”, relata Belchior em publicação no Facebook. 

“Perguntei se ela sabia que havia leis que me protegiam e que aquilo era passível de processo por discriminação, e ela simplesmente disse que sabia, mas que eu deveria 'me comportar'", relembra Thiago. Conforme depoimento dele, a funcionária argumentou que uma suposta família teria feito a reclamação, mas que já havia ido embora.

“Nessa hora, vendo que não haveria progresso com o diálogo, levantamos os dois, indignados, e nos dirigimos para fora do local”, continua Belchior. Thiago lembra que muitas pessoas estavam presentes no momento da abordagem. “A casa estava cheia. Outros funcionários não fizeram nada”, conta. 

“Gostar ninguém é obrigado, mas respeitar, sim”, reclama Thiago. Após a abordagem, o casal foi embora e agora espera que as devidas providências sejam tomadas. “Apesar de nada sério ter acontecido, as atitudes cabíveis já estão sendo tomadas e definitivamente não vamos nos calar”, finaliza Belchior em nota.

De acordo com Tiane Alves, umas das responsáveis pelo estabelecimento, clientes teriam reclamado da presença do casal no ambiente. Uma funcionária, então, se dirigiu à mesa do casal para informá-los do ocorrido. “Ela não conseguiu se explicar, um dos rapazes se alterou e começou a falar alto”, diz. 

“Ela sentou na mesa e pediu para que eles se comportassem na frente de todo mundo”, relata Jonas Domingo, 21, que presenciou o caso. “Eles não estavam fazendo nada. Estavam sentados e conversando”. A testemunha conta que, após o ocorrido, ele e várias pessoas se retiraram do estabelecimento. “Foi desrespeitoso, costumava frequentar o local, mas depois disso nunca mais”, finaliza. 
 
Em nota publicada no Facebook do estabelecimento na manhã desta segunda-feira, a pizzaria diz repudiar "todas as manifestações de preconceito e discriminação sejam elas de homofobia, racismo, machismo, sexismo, preconceito de gênero, de sexualidades, de origem, de classe social, de religiosidade, de faixa etária, ou referentes a limitações físicas e os de quaisquer outras características que diferenciem e que possam ser utilizadas como elementos de segregação e/ou desqualificação de seres humanos". E completa: "A Casa da Itália não tolerará atos de discriminação ou quaisquer condutas que afrontem o respeito aos nossos clientes". Não é informado se alguma providência será tomada em relação ao caso de Belchior e Thiago. 
 
O POVO Online contatou a funcionária envolvida para ouvir o posicionamento dela. Por telefone, a mulher disse que só falaria pessoalmente, marcando uma entrevista para a manhã desta segunda-feira, 24. A entrevista, no entanto, foi desmarcada na sequência pela própria funcionária, alegando indisponibilidade. Ela chegou a comentar o caso na ligação, mas não autorizou veiculação do pronunciamento. 
 
Veja relatos completos.  
 
[VIDEO1] 
[VIDEO2]  
 Redação O POVO Online 
TAGS